Telecom Italia anuncia mais um sócio na FiberCop


WirLab adere a oferta de co-investimnto da FiberCop

A WirLab, companhia italiana multi-utility com serviços de internet, é a mais nova participante da oferta de co-investimento de fibra da FiberCop. Conforme contrato assinado pelas empresas, a WirLab será responsável por levar acesso secundário de fibra óptica a nove municípios. As cidades estão localizadas na região de Campânia. São elas: Ischia, Procida, Casamicciola, Forio, Pompei, Scafati, Sant’Antonio Abate, Santa Maria La Carità e Lioni.

PUBLICIDADE

A entrada da WirLab no projeto de co-investimento segue o de outras provedoras, como a operadora de banda larga Connectivia, que aderiu à FiberCop em novembro. O projeto também conta com investimento da Telecom Itália, dona da TIM, KKR Infrastructure e Fastweb.

O objetivo da FiberCop é garantir a conectividade de 75% das áreas italianas com pouca ou nenhuma conexão até 2025. Isso engloba 1.610 municípios da Itália. “O acordo alcançado confirma a efetividade do modelo de co-investimento, que permite a participação de todos os operadores na entrega de fibra óptica na Itália em cenário de competição de infrastrutura”, afirma a Telecom Itália, em nota.

O modelo de co-investimento da FiberCop se baseia no compartilhamento no risco de longo prazo. Outras empresas poderão se juntar ao projeto após 2021, mas deverão se comprometer com uma taxa, sob a justificativa de que os investidores iniciais aceitaram riscos maiores.

A FiberCop surgiu em 2020 após a Telecom Itália fechar acordo com a KKR Infrastructure e FastWeb. Segundo o contrato, a TIM domina 58% dos ativos da companhia, a KKR, 37,5% e a FastWeb, 4,5%. A TIM também assinou um Memorando de Entendimento com a Tiscali para estabelecer os termos de uma parceria estratégica com o objetivo de desenvolver o mercado de ultra banda larga por meio da participação econômica da Tiscali no plano de co-investimento da FiberCop.

A formação da empresa de infraestrutura de fibra também precisou passar pelo aval da Comissão Europeia. O órgão  considerou que a criação da FiberCop não desrespeita a European Merger Regulation, que regula fusões entre entidades. (Com assessoria de imprensa)

 

PUBLICIDADE
Anterior MCom quer debater relatório do SeAC antes de propor nova lei
Próximos Velocidade de download da Viasat cresce e se aproxima de demais provedores de banda larga