WhatsApp começa a dividir dados de usuários com o Facebook


WhatsApp - logo tsComprado em 2014 pelo Facebook por US$ 22 bilhões, o WhatsApp finalmente vai começar a compartilhar dados dos usuários com a rede social. Quais, no entanto, não diz. A partir desta quinta-feira, 25, usuários começaram a receber avisos de que os termos de serviço e a política de privacidade do aplicativo de troca de mensagens foram reformulados.

Segundo o WhatsApp, as mudanças dos documentos refletem não apenas a compra, mas também servem para deixar os termos legais adequados a recursos recém-acrescentados, como chamadas de voz, criptografia ponta-a-ponta, acesso às conversas através do computador e pela web.

A empresa garante que, apesar de compartilhar informações com o Facebook, manterá o conteúdo das mensagens criptografado e quase impossível de ser obtido. “Nós não iremos publicar ou compartilhar seu número de telefone com terceiros, incluindo no Facebook. Nós também não iremos vender, compartilhar ou disponibilizar o seu número de telefone para anunciantes”, garante.

PUBLICIDADE

Os novos termos também concedem autorização para que o WhatsApp realize testes de novas funcionalidades comerciais. “Nós iremos explorar maneiras para facilitar a sua comunicação com os estabelecimentos comerciais de sua preferência, sem a exibição de anúncios ou spam”, garante a empresa. Os testes devem ocorrer “nos próximos meses”.

Novos recursos
Conforme a descrição dos serviços que serão testados em breve, o WhatsApp pode ficar mais parecido com o Google Now, o assistente pessoal do Google. Isso porque o app de mensagens vai começar a exibir informações relevantes relacionados à vida do usuários, como notas fiscais, informações de agendamento em estabelecimentos comerciais, envio de mercadorias.

Um dos exemplos dados pela empresa é a exibição de dados de voo sobre uma viagem que se aproxima ou o recebimento de uma mensagem que informe quando uma compra foi entregue. O usuário também começa a receber mensagens de marketing. Mas garante que não haverá qualquer sensação de spam. O usuário poderá se negar a usar os novos recursos, alterando as configurações de conta.

Anterior Lei de dados pessoais: comissão especial vai agilizar tramitação
Próximos CCJ da Câmara aprova mais prazo para renovação de outorga de radiodifusão