Watch Brasil libera acesso a clientes de ISPs por 30 dias


A startup de vídeo sob demanda Watch Brasil, que possui mais de 3.000 horas de episódios de séries e filmes de estúdios independentes e infantis, liberou o acesso a sua plataforma a todos os clientes de ISPs parceiros. A iniciativa pretende ajudar as pessoas a passarem melhor o tempo de isolamento social por conta da pandemia de Covid-19.

A Watch Brasil não faz vendas diretas, ela faz parcerias com os provedores regionais de banda larga (ISPs) e estes é que vendem acesso ao aplicativo aos seus assinantes. Por isso, a empresa tomou a decisão de abrir aos mais de 160 provedores parceiros todos os conteúdos de séries e desenhos para o público infantil para toda a base de assinantes, mesmo que por contrato esse provedor tenha parte de sua base com acesso ao streaming.

PUBLICIDADE

“Temos com os provedores clientes contrato para cerca de 300 mil assinantes. Com essa iniciativa, os provedores poderão ofertar por 30 dias todos os desenhos e séries infantis para sua base total de clientes. Estimamos que isso represente mais de 500 mil pessoas que não tinham acesso ao streaming de vídeo da Watch Brasil e passarão a ter imediatamente”, afirma Maurício Almeida, sócio-fundador da Watch Brasil.

Para todo mundo

Mas não são apenas os clientes dos ISPs que terão acesso gratuito a conteúdos da plataforma. “Sabemos que não é fácil, especialmente para pais de crianças, mantê-las em casa e ainda conseguir trabalhar. Logo, temos algo em que podemos auxiliar. Decidimos liberar seis temporadas de diferentes séries para todo usuário que queira acesso”, conta Almeida. O conteúdo ficará acessível também por 30 dias.

Para participar, o cliente do ISP deverá acessar a página watchbr.com.br, clicar no banner da promoção ou clicar no banner da home da plataforma Watch Brasil. Qualquer usuário pode clicar e colocar seu e-mail. Ele receberá um e-mail de ativação, realizará o cadastro e terá acesso ao conteúdo liberado gratuitamente.

Anterior SiDi, de Campinas, abre 50 vagas para profissionais de TI
Próximos Instituto Claro e Central Única das Favelas juntos na luta contra o vírus