VOD vai movimentar US$ 1,84 bilhão na AL em 2018


Os serviços de vídeo sob demanda over-the-top (OTT) vão movimentar US$ 1,84 bilhão na América Latina até 2018. Apenas em 2014, eles geraram US$ 509,2 milhões em receita, segundo levantamento da consultoria Dataxis. Na região existem 86 plataformas do tipo. O país onde a competição é maior é o Brasil, com 29 serviços, enquanto o México tem 17.

Até 2018, 66,5% da receita destes serviços virão para produtos que adotam o modelo de assinatura para faturar (S-VOD). O T-VOD, em que o usuário aluga o conteúdo, representará 18%. O restante, 15,5%, será na modalidade DTO, aquele em o cliente compra uma cópia da obra. Brasil e México se manterão como principais mercados. O Brasil será o segundo principal, com 33,4% das receitas. O México terá 43,9% até 2018.

No mundo, o maior expoente do modelo S-VOD é o Netflix. O serviço tinha 3,9 milhões de clientes pagantes na América Latina ao final de 2014, de um total de 6,5 milhões de usuário S-VOD na região. Apesar de líder, o serviço perdeu espaço para o Claro Video, segundo principal player.

PUBLICIDADE

O número de usuários S-VOD deve triplicar nos próximos anos, alcançando 19,8 milhões em dezembro de 2018, prevê a Dataxis. O de consumidores T-VOD vai aumentar dos atuais 9,4 milhões de transações por ano para 129,5 milhões em três anos, superando de vez a receita do DTO, que passará de 11,6 milhões de comprar para 35,7 milhões até lá. (Com assessoria de imprensa)

Anterior Qualcomm vai demitir 1.314, nos Estados Unidos
Próximos Telefônica propõe distribuição de R$ 147 milhões a acionistas