Vivo, TIM e Claro ativam o 5G puro em 3,5 GHz


5G, pessoas. Crédito: Freepik.
Crédito: Freepik.

Vivo, TIM e Claro começaram a ativar o 5G puro em 3,5 GHz nesta quarta, 6, em Brasília. As operadoras conseguiram velocidades perto do gigabit por segundo.

A TIM, por exemplo, chegou aos 952,35 Mbps, e a Claro, aos 836 Mbps (ambas para download). A ativação do 5G na faixa de 3,5 GHz segue cronograma e diretrizes do Gaispi, grupo responsável pela liberação de uso desta frequência, e da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel).

PUBLICIDADE

A Vivo não divulgou a velocidade máxima obtida no DF. Mas afirma, em nota, que já está pronta para ativar o sinal nas demais capitais, assim que o espectro for liberado em cada uma. A operadora diz que tem mais de 2,5 milhões de clientes que já possuem a condição necessária para usar o 5G: um plano móvel da operadora e um aparelho compatível com a tecnologia.

Diz também que os clientes com chip 4G já têm acesso ao 5G SA. Nas regiões com cobertura, a conexão será automática e o ícone 5G aparecerá na tela do aparelho.

A empresa possui em seu portfólio 47 aparelhos homologados compatíveis nas frequências de 3,5GHz e 2,3GHz. Com o 5G, a experiência de velocidade do usuário será até 10 vezes mais rápida que o 4G, além da redução no tempo de latência.

Leis de antenas

Marcos Ferrari, presidente executivo da Conexis, pondera que, apesar de Vivo, TIM e Claro já estarem prontas para instalar o 5G nas capitais assim que houver autorização da Anatel, algumas cidades ainda não têm leis de antenas atualizadas.

“Várias já fizeram o dever de casa e estão com leis prontas, como Rio de Janeiro, São Paulo, Porto Alegre, mas outras ainda precisam atualizar as leis. Muitas dessas legislações são do começo da telefonia móvel e são incompatíveis com a expansão necessária para o 5G”, afirma o executivo da entidade que representa as operadoras.

Ferrari lembra que o 5G vai exigir de 5 a 10 vezes mais antenas que o 4G.

Hoje, 13 capitais têm leis compatíveis com Lei Geral de Antenas e com as necessidades de implantação de infraestrutura de telecom, pelas contas da entidade: Boa Vista, Brasília, Campo Grande, Curitiba, Florianópolis, Fortaleza, João Pessoa, Manaus, Porto Alegre, Porto Velho, Rio de Janeiro, São Luiz e São Paulo.

PUBLICIDADE
Anterior Coalizão Direitos na Rede vai à Justiça contra valor das concessões definido pela Anatel
Próximos PL do Silêncio Positivo vai à sanção sem passar por comissões do Senado