Vivo perde posto de maior no STFC para a Oi


A quantidade de pessoas dispostas a pagar por planos de telefonia fixa no país continuou a encolher em junho, mantendo a trajetória de retração acelerada na qual embicou a partir de 2016.

A base de STFC encerrou o mês com 31,46 milhões de linhas. Significa que houve 306,72 mil desligamentos, ou, 0,97% de retração.

Na comparação anual, junho de 2020 teve 4,22 milhões de desligamentos em relação a junho de 2019, um tombo de 11,83%. Não por acaso, as concessionárias pleiteiam junto à Anatel regras que recuperem a sustentabilidade econômica do serviço prestado em regime público.

PUBLICIDADE

O desinteresse pelo serviço se refletiu praticamente em igual medida tanto pelo produto de concessionárias, quanto o de autorizadas. Embora as concessões detenham a maior parte dos assinantes (16,91 milhões), desligou 166,6 mil deles – ou seja, 0,98%. As autorizadas tinham em junho 14,54 milhões, desligaram 140,12 mil – retração de 0,95%.

Operadoras
de grande porte
01/05/2020 01/06/2020 Saldo Variação %
CLARO 9.298.500 9.219.575 -78.925 -0,85%
OI 9.791.405 9.731.946 -59.459 -0,61%
TIM 1.069.435 1.028.589 -40.846 -3,82%
VIVO 9.860.984 9.694.190 -166.794 -1,69%

Dentre as operadoras, a Vivo foi a que mais desligou. Como resultado, deixou de ser a maior operadora de telefonia fixa do país, perdendo o posto para a Oi. A TIM, que atua apenas como autorizada, cancelou a maior quantidade porcentual de linhas no mês (vide tabela acima).

Em termos de market share, há virtual empate entre Oi (30,9%) e Vivo (30,8%). Claro vem em terceiro com 29,3%. Seguida por Algar (4%), TIM (3,3%) e outros (1,7%). Os dados são da Anatel e foram disponibilizados pela agência reguladora na última semana.

Anterior TV por Assinatura: 67 mil clientes desligados em junho
Próximos ISPs dominam em fibra. Entre as grandes, Vivo tem maior fatia do FTTH