Vivo integra YouTube e YouTube Kids a sua plataforma de TV e vídeo


Vivo anunciou hoje, 27, a integração do Youtube à sua plataforma de TV e vídeo. A partir desse mês, os assinantes de TV da Vivo poderão acessar todo o conteúdo do YouTube e do YouTube Kids – plataforma criada para proporcionar às crianças um ambiente mais controlado – pelo aparelho e controle remoto da TV.

“Nosso acordo com o YouTube reforça a estratégia em dar a melhor experiência de vídeo, com a melhor conexão, conteúdo e qualidade”, diz Marcio Fabbris, vice-presidente de B2C da Vivo. O app Vivo Play é o protagonista desse posicionamento da operadora, de se colocar como um centro de entretenimento. Através dele, o usuário pode não apenas ver o Youtube na TV, mas também acessar a plataforma de vídeo do Google via smartphone e tablet.

PUBLICIDADE

Para acrescentar estes serviços ao sistema de TV do Vivo Play, a plataforma passará por uma atualização automática gradativamente nas próximas semanas. Além da inclusão do Youtube, o app ganhará uma interface mais intuitiva, dinâmica e com funcionalidades como recomendação de conteúdo e lançamentos na tela principal.

O acesso ao Youtube estará disponível aos clientes de TV paga por fibra da operadora, que representam pouco mais de 70% da base da empresa no segmento. Os demais seguem sem acesso à ferramenta. A operadora explica também  que a assinatura do Youtube Premium, versão sem anúncios da plataforma, continua a ser responsabilidade integral do Google.

Como acessar

Para utilizar o YouTube, basta o cliente acessar o serviço por meio do menu principal da tela de início do Vivo Play ou diretamente pelo canal 636. Já o YouTube Kids, que também aparece no menu principal, pode ser acessado diretamente pelo canal 548.

Além de acessar os serviços de streaming diretamente pelos canais, os clientes também conseguem espelhar o conteúdo das plataformas para a TV em que o decodificador está ligado. Para isso é preciso estar assistindo por meio do smartphone ou tablet e estar conectado na rede WiFi. (Com assessoria de imprensa)

Anterior SindiTelebrasil defende adiamento na consulta pública sobre leilão da 5G
Próximos Operadoras devem adotar estratégias "zero touch", diz relatório do MIT