Vivo anuncia plano para levar rede 3G para 85% da população


O presidente da Vivo, Roberto Lima, anunciou hoje um ambicioso programa de ampliação da rede 3G da Vivo, para cobrir 2.832 cidades até o final de 2011, que concentram 85% da população brasileira. A rede 3G da operadora cobre hoje 600 municípios. A meta é de atingir 1.461 cidades até o final deste ano e …

O presidente da Vivo, Roberto Lima, anunciou hoje um ambicioso programa de ampliação da rede 3G da Vivo, para cobrir 2.832 cidades até o final de 2011, que concentram 85% da população brasileira. A rede 3G da operadora cobre hoje 600 municípios. A meta é de atingir 1.461 cidades até o final deste ano e o restante no decorrer de 2011. Lima assegurou que o serviço será ofertado em cidades de diferentes tamanhos, desde a pequena Borá, no interior de São Paulo, com 837 habitantes (a menor cidade do país) passando por cidades com 150 mil habitantes e maiores, com 300 mil, nos diversos Estados brasileiros.

“É um compromisso de universalizar a internet no país”, comentou Lima, após lembrar que a telefonia móvel já supera em muito a fixa em número de usuários — 180 milhões de clientes de voz na móvel contra 41 milhões na fixa – e que o mesmo está acontecendo com a rede de acesso a internet, uma vez que os acessos por tecnologia móvel (celular e modems) já somam 12,5 milhões, enquanto os acessos por meio da fixa totalizam 11,8 milhões, segundo os números das operadoras.

Para cumprir a meta proposta, a Vivo terá como desafio levar a rede 3G para quatro municípios por dia (hoje leva a cobertura 3G para uma média de 1,3 municípios/dia). Para isso, informou o executivo, a operadora conta com investimentos, já anunciados, no valor de R$ 2,49 bilhões e manterá a política de compartilhamento de infra-estrutura com outras operadoras. Segundo ele, 55% das estações radiobase já são compartilhadas entre as operadoras móveis, que adotararam o compartilhamento também para a construção das linhas de transmissão. “Este ano estamos construindo 16 km de linhas de transmissão junto com Claro, Embratel, TIM e outras”, afirmou.

PUBLICIDADE

Além disso, informou, a Vivo já tem rede 2G e Edge em todas as 2.832 cidades que terão cobertura 3G. A velocidade ofertada será de 250 Mbps, com mensalidade de R$ 59,90 (no primeiro mês o cliente pagará o preço promocional de R$ 29,90). O custo do serviço não inclui o valor do modem, de R$ 149, que pode custar menos dependendo do pacote a ser contratado pelo cliente. O serviço, inicialmente, será oferecido apenas na modalidade pós-paga, mas a intenção é, posteriormente, criar pacotes para o pré-pago. A Vivo tem hoje 4 milhões de clientes 3G, entre aparelhos celulares e modems, e não divulgou a expectativa de clientes para o final do plano, alegando que, por ser uma empresa com ações em bolsa, não faz projeção.

Aquisição

Segundo Lima, a decisão do plano foi aprovada pelo conselho de administração da operadora, em reunião no dia 29 de maio, e não está relacionada a possível aquisição, pela Telefónica, da participação da Portugal Telecom na Vivo. Lima evitou responder as perguntas sobre a disputa dos acionistas (Portugal Telecom e Telefónica) pela Vivo. “Ficamos lisonjeados de representarmos uma empresa desejada pelos dois sócios”, desconversou ao ser perguntado sobre o negócio.

Anterior Governo vai usar propostas da Confecom para propor alterações nas leis das comunicações
Próximos Telebrasil disse que reativação da Telebrás foi rejeitada na Confecom