Vivo abre plataforma do Vivo Valoriza para pequenas e médias empresas


O Vivo Valoriza – programa de relacionamento da operadora que permite a obtenção de descontos em restaurantes, lojas e cursos online, vai expandir sua plataforma de cadastro gratuita para os pequenos e médios negócios.

A operadora diz que esta é mais uma iniciativa para apoiar os brasileiros durante o cenário econômico causado pela pandemia do novo coronavírus. Isso porque a plataforma Vivo Valoriza tem 28 milhões de pessoas cadastradas, que poderão ser contempladas pelas PMEs. Como contrapartida, as empresas oferecem benefícios exclusivos para os clientes da Vivo que estão no programa.

PUBLICIDADE

Atualmente, são mais de 200 marcas cadastradas no programa de relacionamento. Essas marcas podem criar campanhas exclusivas e segmentadas e ter um relacionamento direto com o público final sem nenhum custo. “Com o cenário atual, o Vivo Valoriza é a ferramenta certa para fomentar os pequenos e médios negócios, seja na divulgação dos serviços, produtos ou experiências”, explica Marcio Fabbris, Vice-Presidente de Marketing e Vendas da Vivo. “Vamos colocar estes empresários em contato com os nossos clientes, que poderão ter benefícios exclusivos, como descontos, antecipação de vendas, cortesias e degustações”, completa Fabbris.

Segundo uma pesquisa realizada pelo SEBRAE, desde o início do surto do covid-19, o varejo brasileiro já apresenta uma queda de 29% no faturamento, sendo o pequeno negócio o mais atingido com o cenário econômico, tendo registrado queda de 69% em relação a uma semana normal.

Para ser uma empresa habilitada a fazer parte do programa Vivo Valoriza, basta atuar por meio de e-commerce, whatsapp, telefone ou de modelo take away (pedido online ou presencial com entrega no local). É necessário ter CNPJ regularizado e ativo. Os interessados podem realizar o cadastro de maneira gratuita no site da Vivo. Uma equipe da companhia analisará o cadastro e o cumprimento dos requisitos para integrar a iniciativa. (Com assessoria de imprensa)

Anterior Solução para a interferência deve ser técnica e econômica, diz Menezes
Próximos Brasil é protagonista na escolha do espectro para a 5G