Virus em celulares aumentaram 20% diz pesquisa


A Alcatel-Lucent divulgou hoje novos dados mostrando que as ameaças de segurança aos dispositivos móveis continuam em rápida ascensão, contaminando a qualquer momento mais de 11,6 milhões de dispositivos e sujeitando seus proprietários a um maior risco de roubo de informações pessoais e financeiras, além de surpresas indesejáveis em faturas resultantes de uso de dados pirateados e extorsão em troca do controle do dispositivo. Entretanto, a ameaça de segurança às redes domésticas permaneceu constante, pois os tipos de malware “fixos” tradicionais começaram a migrar para dispositivos móveis.
 

Os números da subsidiária Kindsight da Alcatel-Lucent para o 4º trimestre e para o ano de 2013 revelam que softwares mal-intencionados ou “malwares” usados pelos hackers para obter acesso a dispositivos continuam a aumentar com o uso de ultra banda larga pelos consumidores. Além dos riscos impostos aos consumidores, o malware é usado para cometer espionagem e lançar ataques de negação de serviço em empresas e governos.
 

O relatório descobriu que as infecções por malware móvel aumentaram 20% em 2013, com dispositivos LTE 4G sendo os mais susceptíveis a infecção. Dispositivos Android representaram 60% do total de infecções de rede móvel, que frequentemente tomavam a forma de aplicativos cavalos de Tróia baixados de app stores de terceiros, Google Play™ Store ou por golpes de phishing. Quarenta por cento do malware móvel teve origem em laptops Windows™ conectados a um telefone ou conectados diretamente por meio de unidade móvel USB ou hub MIFI. Infecções em dispositivos iPhone® e BlackBerry® compõem menos de 1%. ( Assessoria de Imprensa).

PUBLICIDADE



Anterior EMC fecha ano com crescimento de 7%
Próximos Telebras afirma que volume contratado reduzirá gastos com aluguel de postes em SP