Vero Internet desiste de IPO


Vero Internet desiste de IPO
Crédito: Freepik

A Vero Internet informou à CVM na sexta, 7, que desistiu de realizar sua abertura de capital. A empresa, formada pelo fundo Vinci Partner pela fusão de oito provedores de internet de Minas Gerais em 2019, protocolou ano passado seu pedido de IPO, mas congelou o processo logo em seguida. O projeto previa levantar R$ 1 bilhão.

Na mesma época, outros ISPs entraram na bolsa brasileira. Foi o caso de Brisanet e Unifique, que também previam aberturas de capital acima do piso estabelecido nos prospectos, mas na prática levantaram capital dentro do mínimo previsto. A Brisanet, por exemplo, levantou R$ 1,25 bilhão. A Unifique, R$ 818 milhões.

Também houve desistências. A Triple Play – Conexão, do fundo Acon, planejava abrir o capital em 2020, mas cancelou a solicitação na CVM em outubro daquele ano. À época, a empresa explicou que as condições de mercado não eram favoráveis.

No comunicado ao mercado em que expõe a desistência, a Vero faz observação semelhante é diz que o cancelamento do pedido de IPO acontece “tendo em vista as alterações das condições atuais dos mercados de capitais brasileiro e internacional”. Ao Tele.Síntese, representante da empresa disse que a possibilidade de abertura de capita não foi deixada de lado, e pode ser retomada no caso de melhora das condições do mercado acionário.

Conforme os dados mais recentes da Anatel, de novembro de 2021, a Vero, juntamente com as empresas 100% adquiridas, possuía mais de 590 mil clientes em carteira. Atualmente, a companhia tem 600 mil clientes e opera em 174 cidades do Sul e de Minas Gerais – que a coloca na nona posição dos maiores provedores brasileiros, sendo líder nos mercados onde atua.

Fazem parte do grupo Vero os provedores BD Online, NWNet, Efibra, G4Telecom, Powerline Internet, Viaceu, Viareal, CityIO, MKA Telecom, ClicRápido Telecom, INB Telecom, Empire Telecom, Plug Telecom, Neorede Telecom, GTC Internet e Giganet, sendo esta última em operação sujeita ao fechamento.

O cancelamento do IPO também não deve frear os planos de expansão da empresa, que dobrou de tamanho em 2021 e já anunciou a contratação da V.tal para ampliar sua cobertura a conquistar clientes em banda larga fixa por fibra óptica em cidades nas quais não tem presença ainda.

[Este texto foi atualizado com números do grupo Vero, contabilizando a mais recente aquisição da empresa: o provedor Giganet].

PUBLICIDADE
Anterior Anatel propõe requisitos técnicos de redes passivas
Próximos Banda larga fixa recua 1,2% em novembro