Verizon e Cisco conduzem teste de carro autônomo com 4G


crédito: Freepik
crédito: Freepik

A operadora norte-americana Verizon e a fabricante de equipamentos para redes Cisco conduziram um teste de condução autônoma empregando 4G e computação de borda móvel (MEC, sigla de mobile edge computing, abordagem de comunicação que permite recursos de computação em nuvem na borda de uma rede).

Segundo as empresas, isso foi feito com a intenção de observar de que modo é possível simplificar a implantação de serviços não tripulados, eliminando a necessidade de gabinetes na estrada para estender os sinais de rádio.

PUBLICIDADE

O teste foi realizado nos EUA, durante dois dias. Combinou os recursos de computação de borda em gabinetes de beira de estrada e a rede da Verizon para ajudar a desenvolver interfaces e aplicativos de veículos conectados.

A Verizon, que recentemente fez acordo com a SES para acelerar a implantação do 5G, e a Cisco afirmaram que a infraestrutura virtualizada pode lidar com a baixa latência exigida por serviços, mesmo na geração 4G de banda larga móvel. Isso inclui bots de entrega autônomos ou não tripulados e táxis em grandes cidades urbanas onde existam tecnologias públicas de MEC.

A latência média obtida nos testes foi de 42,83 ms. A conexão mais ágil registrou latência de 33,44 ms. E a mais lenta, 62,27 ms. Números que as empresas garantem serem suficientes para implantar um sistema seguro de direção autônoma.

As empresas ressaltam que o grande benefício da proposta é obter desempenho para a entrega de novos serviços, a custos inferiores que os necessários para a implantação de novas redes 5G “standalone”. Tanto redes LTE, com acesso a servidores de dados de borda ao longo de uma estrada, como redes com 5G DSS podem prover serviços para carros conectados, especialmente de segurança e direção assistida.

A tecnologia testada, lembram, foi pensada para carros autônomos, mas uma vez que se provou capaz para essa finalidade, poderia ser também adaptada para outros usos em internet das coisas.

PUBLICIDADE
Anterior Vivo reformula seu aplicativo de autoatendimento
Próximos Acionistas não isentam CEO da Ericsson por escândalo no Iraque