Velocidade média de conexão à internet é de 2,9 Mbps no Brasil


A velocidade média de conexão à internet no Brasil ficou em 2,9 Mbps no último trimestre de 2014. O dado é da empresa Akamai e consta do estudo State of the Internet, divulgado nesta quinta-feira (8). Com a média, o país ocupa a 90ª posição no ranking de países com velocidade média de navegação mais alta no mundo. A lista tem 140 países.

Nas Américas, o Brasil é 10º colocado, entre 15 países analisados. Supera Bolívia, Venezuela, Paraguai e Costa Rica; empata com Panamá, e fica atrás dos demais. Estados Unidos e Canadá apresentam a maior velocidade no continente, como média de 11,5 e 10,3 Mbps, respectivamente.

Entre os sul-americanos, o Uruguai é o mais bem posicionado, ocupando o 53ª lugar no ranking global e apresentando velocidade média de 5,5 Mbps. O país foi o que apresentou maior melhora na velocidade de conexões, que subiram 148% no ano. No mesmo período, as conexões brasileiras ficaram 9,5% mais rápidas. A Argentina figura em 67º lugar, com velocidade média de 4,2 Mbps e aumento de, em média, 49% em um ano.

PUBLICIDADE

Entre julho e setembro de 2014, a média global de velocidade de foi de 4,5 Mbps. A Coreia do Sul manteve-se em primeiro lugar no ranking de 140 países, com velocidade de 25,3 Mbps. Em segundo lugar está Hong Kong, com 16,3 Mbps. No comparativo ano a ano, 129 dos países qualificados para o ranking apresentaram aumento de velocidade média de conexão, variando de 0,2% no Equador (3,6 Mbps) a 150% em Jersey (9,7 Mbps), ilha do Canal da Mancha.

No que diz respeito aos picos de conexão, a média global ficou em 24,8 Mbps. Hong Kong manteve-se em primeiro lugar, com pico de 84,6 Mbps e crescimento de 14% em relação aos três meses anteriores. Ano a ano, 135 das regiões qualificadas apresentaram evolução e a média geral teve crescimento de 38% em relação ao terceiro trimestre de 2013.

Todos os top 10 países apresentaram significativa evolução, com destaque para o Uruguai, com 58,6 Mbps e crescimento de 334% nos picos. O Brasil registrou 20,5 Mbps, aumento de 23% em relação ao último ano. Neste índice, o país subiu da 89ª para a 86ª posição no ranking global de picos de conexão.

O relatório aponta o Brasil como a 7ª maior fonte de ataques cibernéticos do mundo. Mostra que o país apresentou o maior crescimento em endereços IPv4 no trimestre (3,1%). No ano, o crescimento foi 33% em relação ao mesmo período de 2013.

O material analisa os 246 países/regiões conectados à plataforma Akamai no trimestre – o que representa mais de 790 milhões de endereços IPv4 únicos – e, para os rankings, considera os que tenham mais de 25 mil endereços.

Conectividade Móvel
No terceiro trimestre de 2014, a Coreia do Sul manteve sua liderança, com velocidade média de 18,2 Mbps. Já o Irã atingiu o menor índice global, de 0,9 Mbps, sendo o único com número inferior a 1 Mbps. Na América do Sul, a Venezuela apresentou a maior velocidade, com média de 6,0 Mbps, e o Brasil registrou média de 1,5 Mbps.

No que diz respeito à média de picos de conexão, Cingapura atingiu o maior número do período, com 98 Mbps, e o Irã também figurou em último lugar, com 3,3 Mbps. O Brasil registrou, no período, 12 Mbps e, na América do Sul, o maior pico também ficou por conta da Venezuela, com 27,1 Mbps.

Em relação à adoção de banda larga móvel (> 4 Mbps), a Suécia teve a maior taxa, 94%, enquanto Irã, Paraguai, Croácia e Vietnã tiveram taxas abaixo de 1%. Na América do Sul, novamente a Venezuela destaca-se, com 86% de adoção e empatada com o Japão neste quesito.

Penetração Global de Internet
O estudo registrou pequeno crescimento na contagem global de endereços de IP únicos, com aumento de 0,3% – cerca de dois milhões de novos IPs – no comparativo trimestre a trimestre. Dos Top 10 países, apenas EUA, Brasil, França e Rússia apresentaram aumento em relação ao segundo trimestre de 2014.

O Brasil figura na terceira posição em volume de IPs conectados à Akamai, com 45.469.490 endereços no período. Ainda, apresentou o maior índice de crescimento no trimestre (3,1%) e no último período um ano (33%), sendo o único dentre os top 10 que apresentou aumento de dois dígitos.

Adoção IPv6
Quanto à adoção do IPv6, a maior demanda continua sendo de provedores como a Verizon Wireless e a Brutele, que têm mais da metade de suas solicitações à Akamai feitas em IPv6. Adicionalmente, a Bélgica é o país que continua liderando a adoção, com 27% de suas conexões à Akamai via IPv6.

4K Readiness
O ranking “4K Readiness” analisa a entrega de streaming de ultra resolução (ultra HD – 4K) e considera que é preciso 15 Mbps de capacidade para que vídeos sejam trafegados. No trimestre, 12% das conexões à Akamai foram em 15 Mbps ou velocidade superiores. Dos 52 países presentes neste ranking, a Coréia do Sul fica em primeiro lugar, com 66% de suas conexões em 4K.

O Brasil está na 50ª, com 0,5% de suas redes capazes de realizar streamings em 4K. No trimestre anterior o país figurava na posição 59ª, com 0,6% de capacidade de rede. Mesmo assim, o país apresentou crescimento de 65% ano a ano.

Anterior PT SGPS alerta que venda da operadora pela Oi é o "abandono" dos objetivos da fusão
Próximos Samsung deve fechar 2014 com queda no lucro, depois de três anos de crescimento