V.tal será a grande viabilizadora para o sucesso do 5G


Detentora da infraestrutura de fibra óptica mais robusta e de maior capilaridade do país, a V.tal aguarda a definição da alocação dos investimentos de R$ 30 bilhões programados até 2025 para ampliar ainda mais o potencial da rede. Com a maior infraestrutura de fibra óptica – 400 mil quilômetros de extensão, chegando a 2,3 mil cidades –, a primeira rede neutra fim a fim do mercado brasileiro superou 15 milhões de casas passadas (home passed), com disponibilidade de contratação de internet via fibra óptica em todas as regiões do país.

PUBLICIDADE

Essa grande presença confere à V.tal um papel essencial e estratégico na aceleração da implantação do 5G no país. Isso porque a nova tecnologia vem acompanhada de uma forte demanda por dados em alta velocidade, que, por sua vez, exigem o suporte de uma rede robusta de fibra óptica.

O plano de investimento da companhia prevê expansão da rede já existente e aumento da capacidade, contribuindo para a massificação da internet de alta velocidade e a implementação da tecnologia 5G. A empresa vem acelerando a implantação da internet de fibra óptica numa velocidade de 460 mil casas por mês, em um ritmo de crescimento com a perspectiva de atingir 32 milhões de casas passadas até 2025.

“Os R$ 30 bilhões de recursos já anunciados pelo futuro controlador serão usados para aumentar a capacidade e a capilaridade e melhor conectarmos nossos parceiros. Haverá expansão para todas as áreas. Nosso interesse é contribuir para a expansão da banda larga e do 5G no Brasil”, diz Rafael Marquez, diretor de Marketing da V.tal.

Ele destaca que o modelo da V.tal visa apoiar os provedores regionais a ingressarem em novas cidades de forma mais otimizada. Usando a infraestrutura da empresa, que estará sempre disponível, o provedor não precisa investir em redes, direcionando sua energia e recursos para a área comercial e de marketing.

Presença

A V.tal vai contribuir para o avanço da digitalização em todas as regiões do país e apoiar a implementação do 5G porque ela está pronta para isso. Na região Sudeste, a rede abrange mais de 4,6 milhões de casas passadas, com internet de fibra óptica em 63 municípios dos estados de São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais e Espírito Santo. No Sul, são mais de 3,7 milhões de residências em 67 municípios em todos os estados da região.

No Nordeste, são mais de 3 milhões de casas passadas em 41 municípios dos estados de Alagoas, Bahia, Maranhão, Ceará, Paraíba, Rio Grande do Norte, Sergipe, Pernambuco e Piauí.

Na região Centro-Oeste, são mais de 2,3 milhões de residências com o serviço de internet por fibra óptica disponível para contratação no Distrito Federal e em 26 municípios dos estados de Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e Goiás. E, no Norte, são mais de 1,5 milhão de residências em 17 municípios dos estados de Amapá, Amazonas, Acre, Rondônia, Roraima, Pará e Tocantins.

“O 5G vai ser um grande habilitador de novos negócios e soluções. As mudanças entre as gerações anteriores não foram tão impactantes quanto esta será. A fibra chegando até as antenas vai permitir que a tecnologia móvel ofereça capacidade e velocidade tão grandes quanto as da fibra óptica da rede fixa. Teremos uma internet móvel mais rápida para assistir a filmes em alta resolução e jogar online, com a redução do tempo de resposta. Haverá internet fixa wireless de alta velocidade, casas conectadas e serviços que exigem baixíssima latência em aplicações de missão crítica, como automação de indústria, carro conectado e telemedicina com cirurgias remotas em que não pode haver falhas”, enumera Marquez.

No recente leilão de 5G, diferentes provedores regionais que adquiriram espectro também poderão ter na V.tal um parceiro de infraestrutura para acelerar o time to market de suas redes.

“Estamos conversando com todo o mercado, tanto com os operadores já atuantes quanto com os novos entrantes. A tendência natural é de consolidação. Nosso DNA é o de construção de redes, o que não impede que avaliemos ativos que consideremos interessantes nesse mercado, que é pulverizado e vai se consolidar. Mas tudo vai depender do novo controlador”, ressalta o executivo.

Rafael Marquez, Diretor de Marketing da V.tal | Credito: Renata Mello
“Nossa grande missão é viabilizar a expansão da banda larga em fibra e do 5G no Brasil”, diz Rafael Marquez, diretor de Marketing da V.tal. | Credito: Renata Mello

Novas Ofertas

O 5G demandará uma quantidade de cinco a dez vezes mais antenas das operadoras, que precisarão de uma infraestrutura de fibra óptica para conectar essas antenas. A V.tal já conta com serviços especialmente desenhados para atender a essa demanda, seja em soluções para conectividade de longa distância de backbone, seja em soluções metropolitanas de backhaul e acesso.

Entre as novas ofertas, estão os serviços de conectividade FTT City (backbone) e FTT Tower (acesso) como soluções para a expansão da tecnologia de quinta geração. O primeiro serviço permitirá que uma operadora regional expanda sua presença para outras regiões e localidades. Nas localidades, a V.tal também pode fornecer a rede metropolitana e até levar fibra à casa do cliente (FTTH – Fiber to the Home). Já o serviço FTT Tower (Fiber to the Tower) leva a conectividade até a antena.

Marquez destaca que o 5G – que possibilita aplicações de altíssimas capacidade e velocidade e baixíssima latência – exige que a rede seja conectada por fibra óptica, visto que é a tecnologia mais robusta para suportar grandes volumes de dados. O diferencial da rede da V.tal é a capilaridade, chegando muito perto das antenas que serão instaladas.

“A frequência do 5G tem um alcance mais curto. Para uma mesma área de cobertura, serão necessárias mais antenas do que existem hoje. Essas antenas precisarão ser fibradas, assim como as small cells que serão instaladas em mobiliário urbano e que garantirão a densidade das redes 5G. O serviço de FTT Tower permite levar a conectividade até as torres e small cells. Onde não temos presença hoje, poderemos estender a nossa malha com novos investimentos”, explica Marquez.

Ele afirma que a V.tal será a principal habilitadora do 5G junto aos três pilares da tecnologia: fibra óptica, torres e espectro. Conforme as metas do leilão promovido pela Anatel, a partir de julho deste ano todas as capitais brasileiras deverão contar com o 5G SA (Stand Alone) funcionando.

“O grande potencial que identificamos no mercado é a necessidade de levar a fibra para as antenas já existentes e as que serão construídas. Entre os sites já instalados, estima-se que menos de 30% têm conexão por fibra óptica. Vamos melhorar em muito a capacidade das torres já instaladas e fazer com que as novas torres já nasçam fibradas”, complementa Marquez.

A V.tal foi criada a partir da separação dos ativos de infraestrutura de fibra da Oi, operação que já obteve a anuência do CADE e aguarda apenas a aprovação do colegiado da Anatel para concluir o processo de alienação de controle para os fundos de investimentos geridos pelo BTG Pactual. A área técnica da agência reguladora já deu sinal verde à operação.

A empresa foi lançada em agosto de 2021 e, a partir de então, fechou mais de 20 novos contratos de rede neutra FTTH (Fiber to the Home). São mais de 400 empresas, entre operadoras de telecomunicações nacionais, internacionais e provedores regionais. Os clientes incluem Vero, Datora, Master, SoftX, Voa, EasyTV, entre outros.

O modelo de rede neutra adotado pela V.tal é utilizado em vários países de diferentes continentes, como Europa e Oceania. Entre as vantagens, está o fato de evitar a sobreposição e a redundância de infraestrutura de rede, otimizando investimentos e possibilitando a rápida expansão dos negócios das operadoras nacionais e dos provedores regionais. São mais de 400 empresas.

PUBLICIDADE
Anterior Conselheiro da Anatel pede vista e decisão sobre a venda do controle da V.tal é adiada
Próximos 5G: Emissoras públicas querem 18 meses para migrar sinal para satélite