Unifique pode arrecadar perto de R$ 900 milhões com IPO


A Unifique confirmou o período de reservas de ações a serem disponibilizadas no processo de Oferta Pública de Distribuição Primária e Secundária de Ações Ordinárias (IPO), iniciado nesta segunda-feira, 12, até o próximo dia 22. A estreia da empresa na Bolsa Valores (B3) está prevista para o próximo dia 27 deste mês. 

O valor mínimo de pedido de investimento superior a R$ 3 mil e o valor máximo de pedido de investimento de R$ 1 milhão por investidor.  A operadora de telecomunicações busca uma oferta primária de, inicialmente, 95.124.852 novas ações a serem emitidas pela companhia; e secundária de 19.024.970 papéis. 

O preço de subscrição ou aquisição estimado, conforme o caso, por ação estará situado entre R$8,41 e R$ 10,49. A fixação de preço acontecerá em 23 de julho. 

A companhia pretende utilizar os recursos líquidos, que podem chegar a R$ 900 milhões, para suportar o crescimento orgânico (40%); realização de aquisições estratégicas de outros players na região Sul do Brasil (40%); expansão da equipe técnica, comercial e de pesquisa e desenvolvimento, além de outros investimentos (20%). 

A IPO é coordenada pela XP Investimentos, Banco BTG Pactual e Banco Itaú. 

 Empresa 

Sediada na cidade de Timbó, em Santa Catarina, a Unifique oferta serviços de banda larga por fibra também no Paraná. A empresa registrou, em março, 318 mil acessos em mais de 122 municípios. A empresa está expandindo a atuação para o Rio Grande do Sul, onde adquiriu, em abril, uma operação com mais de 31 mil acessos em 16 cidades. 

Em 2020, o lucro líquido da Unifique chegou a R$ 50,4 milhões, ante R$ 36,5 milhões, no ano anterior. A receita operacional líquida atingiu R$ 286 milhões ante R$ 163,4 milhões entre 2020 e 2019. 

 

Anterior Orçamento da Anatel para regular setor postal deve mudar. Quadro de pessoal, não.
Próximos Anatel vai ouvir o consumidor sobre qualidade dos serviços de telecom