União Europeia terá nuvem pública para pesquisadores


UniaoEuropeiaA Comissão Europeia anunciou hoje, 19, a criação da Nuvem Científica Aberta Europeia. A iniciativa criará uma infraestrutura de nuvem pública para acesso de pesquisadores sediados em institutos europeus, mas também será acessível a colaboradores mundo afora.

O programa tem uma agenda própria. A partir de 2017, o bloco promete abrir o conteúdo pesquisado nesta nuvem que tenha sido financiado pelo programa Horizon 2020, que destinará € 77 bi à pesquisa científica no continente. Em 2018, a intenção é lançar uma iniciativa para acelerar a criação de tecnologia de computação quântica. Em 2020, deverá ser lançada a tecnologia europeia de computação de alta performance, armazenamento de dados e infraestrutura de redes.

A Comissão promete ampliar o acesso à nuvem científica a empresas e indústrias inovadoras, e também a serviços públicos. Mas não deu os prazos para isso. A construção dessa enorme nuvem acadêmica regional vai consumir € 6,7 bilhões, oriundos de financiamento dos governos que formam o bloco e da iniciativa privada, por meio de parcerias público-privadas (PPPs).

PUBLICIDADE

A criação dessa nuvem científica faz parte de um conjunto de iniciativas para a digitalização da economia local, anunciadas hoje pela Comissão Europeia. Entre as ações estão o incentivo a PPPs para investimentos em inovação, investimento de € 500 milhões em uma rede pan-europeia de centros de inovação tecnológica, criação de projetos piloto de larga escala em internet das coisas, redefinição do marco regulatório para dados gerados por dispositivos e sensores, e capacitação em novas tecnologias.

Ao todo, as medidas devem levar a € 50 bilhões em investimentos por governos em empresas. As áreas prioritárias serão 5G, computação em nuvem, internet das coisas, tecnologias de dados e cibersegurança.

Anterior Telefónica pensa plano B, se venda da O2 não for aprovada
Próximos Anatel publica a lista dos vencedores da banda C do leilão de sobras