UE investiga Google por forçar fabricantes a usar seu assistente de voz


google

O Google está sendo investigado por reguladores da área antitruste da Comissão Europeia sob a suspeita de forçar fabricantes a usar o Google Assistant em dispositivos Android. Se comprovado, o caso poderia levar a uma multa de 10% de seu faturamento global.

PUBLICIDADE

Em junho, os reguladores já haviam expressado preocupações no que diz respeito a predominância de assistentes como Siri que pertence a Apple, Alexa da Amazon e Google Assistant do Alphabet.

Agora, o regulador solicitou aos fabricantes que entreguem evidências de que estão sendo forçados a pré-instalar o Google Assistant. Além disso, o regulador quer analisar se a companhia demandava exclusividade, banindo competidores de aparelhos Android.

Em resposta, a big tech afirmou que providencia mais opções do que qualquer outra plataforma de dispositivos móveis. “Manufaturas podem escolher que assistente de voz instalar em seus dispositivos e usuários também podem escolher que assistente usar  instalar”, afirmou a companhia.

Em 2018, a plataforma sofreu uma multa de € 4,34 bilhões na Europa. Na época, investigações da Comissão Europeia concluíram que a big tech obrigava fabricantes a pré-instalar seu sistema de navegação, o Chrome. Se não o fizessem, os fabricantes eram proibidos de licenciar a loja de aplicativo do Google, Play Store. (Com agências internacionais)

Anterior BTG Pactual lança fundo de investimento em semicondutores
Próximos MP das Fake News deverá ser devolvida ao Planalto