TVs ainda precisam de 4,6 mil canais para concluir a digitalização até 23


A Anatel vai precisar ainda incluir 4.666 canais das geradoras e retransmissora de TV em 1.638 cidades brasileiras para que possa ser concluído o desligamento total das transmissões analógicas de TV até 31 de dezembro de 2023. Essa previsão está presente no Plano de Uso de Espectro aprovado ontem, 18, pela conselho diretor da Anatel.

Além dessa grande demanda, a agência terá também que disponibilizar mais espectro para alocar os Canais de Rede, uma nova categoria de transmissão de TV que foi criada por decreto presidencial (Decreto 10.401/20) no ano passado. Este decreto, juntamente com portaria do Ministério das Comunicações determinam a preferência de algumas entidades para a utilização de um canal físico do espectro.

Conforme o novo plano de uso do espectro serão  destinadas para esses “canais de rede”  as faixas de 174 MHz a 216 MHz; de 470 MHz a 608 MHz; e de 614 MHz a 698 MHz, onde já estão 14.478 canais de TVD e RTVD.

Há também desafios para as emissoras de rádio, entre elas as alterações promovidas pela  Lei nº 13.649/2018, que possibilita que as emissoras de rádio FM instaladas nas capitais dos estados da Amazônia Legal retransmitam seus sinais para
quaisquer municípios do mesmo estado, o que, conforme o documento, demandará a inclusão de diversos canais.

Segundo a Anatel, em 2020 já foram incluídos 460 canais e o primeiro chamamento público recebeu cerca de 980 solicitações para 230 municípios. E Estas inclusões ocorrerão nas faixas de 76 MHz a 108 MHz, onde já estão 7.712 canais de FM.

Leia aqui o novo Plano de Uso de Espectro:

Plano_de_Uso_do_Espectro_Fev_2021

Anterior Vêm aí plataformas de altas altitudes e faixa da banda C para telefonia móvel
Próximos Luis Ramos assume diretoria de Vendas da Oi Soluções