TV digital: ministro conhece hoje projeto de conversor popular


O ministro das Comunicações, Hélio Costa, vai conhecer hoje um projeto de conversor para TV digital destinado à população de baixa renda, com preço estimado em R$ 230,00. A apresentação do equipamento, que será produzido por uma empresa instalada na Zona Franca de Manaus, será no próprio ministério. Costa disse que os conversores vendidos até …

O ministro das Comunicações, Hélio Costa, vai conhecer hoje um projeto de conversor para TV digital destinado à população de baixa renda, com preço estimado em R$ 230,00. A apresentação do equipamento, que será produzido por uma empresa instalada na Zona Franca de Manaus, será no próprio ministério.

Costa disse que os conversores vendidos até agora estavam com o preço muito elevado e disse que a falta do chip específico (tecnologia MPEG4), que é produzido pela empresa norte-americana AMD, provocou o desaparecimento do aparelho no mercado.

O ministro destacou o avanço da TV digital no Brasil, que já está funcionando nos estados de São Paulo, Rio de Janeiro e Belo Horizonte, antes do prazo previsto. Pelo cronograma, estas cidades poderiam implantar o sistema até o início do próximo ano. Ele disse que todo o cronograma está sendo revisto, devido à agilidade dos estados. Informou também que novas autorizações para implantação do sistema já foram expedidas pelo ministério, como para cidades do interior de São Paulo, como Ribeirão Preto e Campinas.

PUBLICIDADE

Brasília ainda demora

Já a implantação da TV digital em Brasília, segundo Hélio Costa, depende da construção de uma nova torre de televisão para abrigar todas as emissoras e a instalação do sistema digital. A atual não comporta o novo sistema e o governador do DF, José Roberto Arruda, prometeu licitar a obra até o final de julho, com previsão de conclusão da torre até o final do ano.

Hélio Costa disse que a TV digital chegará a qualquer momento nas capitais dos estados do Sul e do Norte. “No que o ministério for solicitado, nós vamos autorizar”, disse.

O ministro disse que o Fórum do STVD ainda não decidiu sobre a possibilidade de gravar programas em alta definição, mas adiantou que há um entendimento de que será permitida uma única gravação para consumo próprio. “O que não vamos permitir é a reprodução para comercialização” disse. Ele argumenta que a intenção é proteger o produto que vai ser veiculado.

Fust

Hélio Costa disse estar extremamente satisfeito com o resultado obtido até agora pela consulta pública sobre políticas de telecomunicações, que foi lançada no dia 24 de abril  e está prevista para acabar no dia 9 de junho. Ele disse que a maioria das contribuições versa sobre universalização dos serviços de telecomunicações e que uma das posições que deve ser acatada imediatamente é a utilização maior dos recursos do Fust (Fundo de Universalização dos Serviços de Telecomunicações) em projetos para disseminar os serviços para um número maior de pessoas.

“Acho que este ano nós já vamos ter um aproveitamento muito melhor dos recursos do fundo”, disse Costa, anunciando que há projetos já analisados e já em condições de implantação. Disse também que o ministério está pensando em usar os recursos para melhorar a relação do usuário do telefone, principalmente do pré-pago, em relação a diferenciação de tarifas pagas entre uma operadora e outra. “Tudo isso deve ser tratado nas novas políticas públicas para o setor”, concluiu.

Anterior Hélio Costa confia na aprovação da mudança do PGO
Próximos No primeiro trimestre, mercado global de telefonia corporativa somou US$ 2,5 bilhões.