TV digital: em setembro, só transmissões experimentais


O diretor da Central Globo de Engenharia, Fernando Bittencourt, disse hoje, 3, que não dá mais tempo para que as emissoras de TV iniciem comercialmente, este ano, as transmissões digitais no padrão que será escolhido pelo governo. Segundo ele, em função da demora na decisão do Executivo será possível apenas demonstrações experimentais. O ministro das …

O diretor da Central Globo de Engenharia, Fernando Bittencourt, disse hoje, 3, que não dá mais tempo para que as emissoras de TV iniciem comercialmente, este ano, as transmissões digitais no padrão que será escolhido pelo governo. Segundo ele, em função da demora na decisão do Executivo será possível apenas demonstrações experimentais. O ministro das Comunicações, Hélio Costa, tem dito, reiteradamente, que as transmissões comerciais teriam início em setembro.

“Acho que, comercialmente, não dá mais tempo de entrar este ano. O que pode ser feito é uma demonstração na Copa do Mundo, não comercial. A gente já sabe que não dá mais tempo de ter aparelho de consumo no mercado este ano”, disse Bittencourt, em audiência pública realizada no Conselho de Comunicação Social, no Senado. De acordo com o engenheiro da Globo, o que deverá ser feito, em setembro, pelas emissoras são transmissões em São Paulo e para pouco receptores. Bittencourt acrescentou que, definido o padrão, tanto emissoras de TV quanto a indústria precisarão de, no mínimo, um ano para iniciar transmissões comerciais e ofertarem produtos ao mercado.

Contrapartidas

Na avaliação do representante da Globo, as discussões sobre as contrapartidas comerciais e políticas com os detentores dos padrões são importantes, mas não mais do que a definição sobre o melhor sistema tecnológico. “Elas são um aspecto importante, têm que ser negociadas, mas não podem ser preponderantes sobre a escolha do sistema”, defendeu.

Bittencourt informou que não haverá representantes das emissoras de TV na comitiva de ministros que deverá ir ao Japão e à Coréia, no início da semana que vem. Para ele, a viagem é um indicativo de que o sistema japonês (ISDB-T) tem grandes chances de ser o escolhido. “Esperamos que seja (um sinal) de que o governo irá optar pelo padrão japonês”, completou. O representante da Globo afirmou, ainda, que os radiodifusores ficaram satisfeitos com a permanência de Hélio Costa no ministério, porque tem sido um defensor, dentro do governo, das idéias da SET (Sociedade Brasileira de Engenharia Televisão e Telecomunicações) e das emissoras de rádio e TV.

PUBLICIDADE
Anterior O MP quer o equilíbrio econômico dos contratos, em favor do usuário
Próximos A disputa pela Colombia Móvil