Trópico vai conectar o campo brasileiro com sua rede celular em 250 MHz


A fabricante fez um acordo comercial e tecnológico com a multinacional John Deere, fabricante de equipamentos agrícolas e caminhões, que a partir do primeiro trimestre de 2019 vai vender suas máquinas com a conectividade rural da Trópico.

Responsável pela industrialização da tecnologia LTE na faixa de 250 MHz desenvolvida pelo CPqD, a Trópico hoje faz uma grande aposta no atendimento do campo brasileiro por meio da tecnologia celular. Participou do piloto do CPqD, com apoio da Finep e do BNDES, na Usina São Martinho, no interior de São Paulo, que pertence a um dos maiores grupos do setor sucroalcooleiro do país, e venceu o contrato para a nova fase do projeto que prevê a conexão de todos os equipamentos até o início da próxima safra, em abril de 2019. Mas sua maior aposta é a acordo comercial e tecnológico com a John Deere, multinacional de equipamentos agrícolas e caminhões, que a partir do primeiro trimestre do próximo ano, começa a comercializar seus produtos com a conectividade rural da tecnologia Trópico.

Paulo Cabestré, presidente da Trópico, acredita que o acordo com a John Deere tem enorme potencial para impulsionar os negócios da empresa no segmento do agronegócio. “Estamos nos reinventando há quatro anos. Deixamos de ser fabricantes de centrais telefônicas para nos transformarmos em um fabricantes de infraestrutura celular”, diz ele. A solução Vectura 250, que permite cobrir um raio de até 50 km com uma única estação radiobase, deu à Trópico o Prêmio Anuário Tele.Síntese de Inovação em Comunicações 2018 na Categoria Produtos.

PUBLICIDADE
Anterior Quadros volta a criticar ausência de política pública e Borges questiona o teto dos gastos
Próximos São Paulo quer cobrir custos da nova rede WiFi com propaganda, diz secretário