Trabalhadores esperam maior flexibilidade, diz pesquisa da Cisco


Crédito: Divulgação. cisco
Crédito: Divulgação

A Cisco divulgou hoje, 29, seu primeiro Índice de Trabalho Híbrido (HWI) que examina como os hábitos das pessoas e as interações com a tecnologia redefiniram permanentemente o trabalho após um ano e meio de pandemia da Covid-19.

As descobertas mostram que os trabalhadores híbridos esperam maior flexibilidade, acessibilidade e segurança, enquanto as empresas buscam atender às demandas crescentes de tecnologia. O estudo utilizou pontos de dados agregados de clientes de forma anônima e será atualizado trimestralmente.

De acordo com a pesquisa, o número de funcionários que passaram a preferir trabalhar de casa três vezes por semana aumentou bastante durante a pandemia, saiu de 37% para 81% no mundo. 64% dos entrevistados concordam que a capacidade de trabalhar em casa ou no escritório afeta a permanência ou o desligamento de um emprego. No entanto, apenas 47% acham que sua empresa permitirá trabalhar de qualquer lugar nos próximos seis a 12 meses.

Enquanto isso, 82% dos entrevistados concordam que o acesso à conectividade é fundamental para a retomada a partir da pandemia da COVID-19 e para inclusão social.

A pesquisa da Cisco também registrou grande aumento no acesso móvel às reuniões. Entre fevereiro e agosto de 2021, o dobro de dispositivos passaram a fazer a intermediação com as reuniões. Porém, esses eventos têm despertado pouco engajamento dos funcionários. Na média de 650 milhões reuniões mensais, apenas 47% dos participantes abrem seu microfone.

Os recursos de inteligência artificial (IA) também foram amplamente utilizados, com um crescimento de 200% de junho a setembro de 2021. Durante as reuniões, 200 milhões de pessoas utilizaram tecnologia de removedor de ruído e aprimoramento de voz e 57 milhões de pessoas utilizaram o Webex Assistant.

Rede e segurança

Com dados dos últimos 20 meses, a pesquisa também concluiu que provedores de nuvem são mais estáveis do que o de telecomunicações. Isso porque os de nuvem foram responsáveis por apenas 5% das falhas registradas, e os de telecom, por 95%.

Outra nova tendência que surge nos escritórios é que os aplicativos relacionados à colaboração se tornam a maioria das aplicações monitorados de negócios. Em abril de 2020, o primeiro lugar era ocupado por aplicações de produtividade, que, agora, desceram para a segunda colocação.

Os dispositivos que se conectam a redes Wi-Fi baseadas em escritórios aumentaram 61% em comparação a seis meses atrás. Os setores de ensino superior, serviços profissionais e hotelaria lideram esse movimento.

Durante o período da pandemia, as companhias também tiveram de garantir a segurança de acesso. Entre setembro de 2021 e maio de 2020, o número de aplicações de segurança aumentou 1,8 vez. As instalação de VPN nas redes cresceu 1,5 vez no início da pandemia, mas os ataques maliciosus também aumentaram 2,4 vezes. A ferramenta da Cisco também chegou a bloquear 100 milhões de e-mails ameaçadores em setembro de 2021.

PUBLICIDADE
Anterior Open RAN estará maduro em 5 anos, estima Anatel
Próximos Anatel divulga requisitos técnicos para sistemas de satélites