Todos pela Saúde usa inteligência artificial no combate à Covid-19


Ter acesso a dados confiáveis de forma ágil é o primeiro passo para tomar boas decisões. Essa foi a aposta do conselho de especialistas que gerencia os recursos do Todos pela Saúde, iniciativa criada pelo Itaú Unibanco com o objetivo de enfrentar o novo coronavírus e seus efeitos sobre a sociedade brasileira, quando decidiu investir em aplicativos que mostram os recursos disponíveis em cada local ou ajudam no diagnóstico rápido de pacientes com covid-19. A tecnologia auxiliará o comitê e, principalmente, profissionais de saúde e gestores públicos para enfrentar o novo coronavírus e seus efeitos sobre a sociedade.

App

O aplicativo Todos Pela Saúde, que já passou por uma fase piloto para testes, coletará dados para mostrar o número e o tipo de leitos disponíveis, além da quantidade de equipamentos hospitalares e de proteção individual em até 1300 hospitais brasileiros. Em breve, também aparecerão dados sobre os profissionais de saúde em cada unidade hospitalar, cidade e estado brasileiro.

PUBLICIDADE

Essas informações também serão a base para o Covid Simulator, um algoritmo de projeção epidemiológica que já está sendo usado pelo comitê de especialistas para previsão de necessidades e até de colapsos no SUS.

Para que o aplicativo seja confiável e de fácil utilização, profissionais de destaque das equipes de TI e de UX (experiência do usuário) do Itaú Unibanco aplicaram todo o conhecimento digital desenvolvido pelo banco nos últimos anos. As equipes criaram um banco de dados único, que será capaz de consolidar e organizar as informações que já estavam disponíveis em outros sistemas, criando interfaces amigáveis para facilitar a gestão da saúde pública e a tomada de decisão do Todos Pela Saúde em 13 localidades. Além disso, serão entregues kits com antenas, roteadores e notebook, que levarão conexão a internet a hospitais que até então não possuíam acesso.

“A aplicação foi desenvolvida em cloud, em uma plataforma totalmente independente do banco, respeitando a privacidade de todos os dados. A solução está sendo oferecida a todas as secretarias de saúde e comitês de crise estaduais como suporte à administração pública. A adoção é voluntária e permitirá a todos esses agentes tomarem melhores decisões nos níveis municipais, estaduais e federais, antecipando situações de colapso e deslocando recursos (humanos, equipamentos e suprimentos) com antecedência”, diz Ricardo Guerra, CIO do Itaú Unibanco.

RadVid-19: inteligência artificial

A aplicação RadVid-19 deve agilizar gratuitamente os diagnósticos e tratamento dos pacientes. Basta que os hospitais se cadastrem no site radvid19.hc.fm.usp.br.

A plataforma RadVid-19 usa inteligência artificial para ler tomografias computadorizadas e indicar a probabilidade da pessoa estar com a doença. A ferramenta mostra também o grau de comprometimento pulmonar, ajudando médicos a definir sua conduta mesmo antes do resultado do teste, insuficiente neste momento da pandemia.

A base de dados é totalmente constituída por exames de Raio-X e Tomografia feitos no Brasil e será disponibilizada gratuitamente para colaboração e consulta. Em breve, a plataforma também terá o módulo AI para Raio-X e radiologistas de plantão para tirar as dúvidas dos profissionais de saúde.

O RadVid-19 foi desenvolvido pela Universidade de São Paulo através do InovaHC e viabilizado pelo Todos pela Saúde com apoio do Itaú Unibanco e de outros parceiros, como Colégio Brasileiro de Radiologia, Amazon Web Services, GE Healthcare, Huawei, Deloitte, Hospital Sírio-Libanês, Grupo Fleury, Americas Serviços Médicos, Petrobrás, BID, entre outros. O Todos pela Saúde destinou R$1 milhão para esse projeto. (Assessoria de imprensa)

Anterior Acessos à plataforma de cursos online do Instituto TIM crescem 200%
Próximos Anatel propõe nova forma de coleta de dados do SMP