TIM usa a própria plataforma de publicidade móvel para pesquisar interesse por vacina


A fim de demonstrar a viabilidade do uso de plataformas móveis interativas de publicidade, a TIM fez uma pesquisa no último mês para entender a receptividade do brasileiro às vacinas anti-Covid-19. Para isso, usou a TIM Ads, sua plataforma de publicidade direto no celular. A operadora obteve respostas milhares de clientes, da base total da 15 milhões que aceitaram receber anúncios nos smartphones.

PUBLICIDADE

“Mais do que o engajamento, nossa intenção é trabalhar com pesquisas que tratam da realidade do consumidor e que sirvam para melhorar sua experiência dentro e fora da operadora por meio também de benefícios oferecidos pelas parcerias estratégicas firmadas pela operadora e que geram novas receitas para a companhia”, diz Renato Ciuchini, Head de Estratégia e Transformação da TIM Brasil.

Resultados

Conforme a pesquisa, após 15 meses desde o primeiro caso do novo coronavírus no país, o maior desejo de boa parte dos clientes da TIM é ser imunizado ou que os familiares mais próximos também sejam. Os entrevistados destacaram que o principal sentimento envolvido com a disponibilidade da vacina é de Esperança (47%).

Somente 2% dos respondentes declaram que não irão tomar a vacina. No levantamento, a maioria dos entrevistados (39%) disse não ter preferência entre as fabricantes das vacinas.

Já entre os que apontaram preferência, o imunizante CoronaVac, produzido pelo Instituto Butantan, se mostrou como a vacina contra a Covid-19 mais bem recebida entre os brasileiros, com 33% da escolha. Ela lidera com folga a aceitação no comparativo com a segunda colocada, a AstraZeneca, que registrou 9%. Em sequência, apareceram as vacinas Pfizer, com 5%, e Moderna, com 2%.

Anterior Maluly, CEO do Itaú, defende aceleração da vacina para crescimento
Próximos Pistono, Stoenescu e Mussalem: Tendências pós-Covid-19 para fusões em telecom