Tim registrou 6 mil produtores beneficiados com conectividade


Alexandre Dal Forno,
Head de Marketing Corporativo & IoT da Tim Brasil

A estratégia de levar conectividade ao campo da TIM a partir a assinatura de contratos com grandes grupos deo agronegócio está beneficiando ainda pequenos produtores de propriedades localizadas no entorno das grandes fazendas.

Segundo explicou hoje Alexandre Dal Forno, head de Marketing Corporativo & IoT da operadora durante o evento online do Agrotic 2020, cerca de 6 mil pequenos e médios produtores rurais passaram a ser atendidos com a cobertura implantada pela companhia em 5 milhões de hectares. Essa cobertura é resultado na conectividade levada objetivamente a apenas seis ou sete fazendas, disse.

“Como as ondas eletromagnéticas do 4G não obedecem aos limites das propriedades, acabam por cobrir áreas lindeiras, de pequenos e médios produtores que ficam ao redor”, pontuou o executivo. “A gente acredita que o agro conectado é mais produtivo. Então vai trazer mais eficiência e o aumento da produtividade no país”, comentou.

PUBLICIDADE

Conexão transformadora

A TIM leva a cobertura móvel para grandes propriedades, que pagam uma taxa inicial para reduzir os custos de implantação da tele. Para Dal Forno, a ação de grandes produtores traz inúmeros benefícios para os vizinhos.

“A gente tem um ganho correlato em cima de uma ação de grupos que apostaram seus investimentos e estão nos ajudando a fazer a coisa acontecer. Eles conseguirão se beneficiar mais rápido, e ao mesmo tempo, os vizinhos conseguem já se apropriar da conectividade para fazer sua transformação digital”, ressaltou.

O Brasil, lembro, tem dimensões e um modelo agrícola único, que tornam a cobertura celular um desafio maior que em outros países. “Se pegar a experiência na Europa e nos Estados Unidos, no ambiente de pequenos e médios, é mais fácil fazer a transformação digital. São áreas menores e ambientes mais controlados, onde essa transformação é menos dolorosa”, completou.

4G no campo

O representante da TIM observou que essas grandes propriedades são empresas responsáveis pela criação da Associação Conectar Agro, que reúne a própria operadora. E agora a entidade busca atrair novos associados que possam contribuir com o aumento da conectividade do campo usando o 4G em 700 MHz.

A entidade, sem fins lucrativos, foi criada para simplificar a vida do produtor a partir da utilização da mesma tecnologia presente nas cidades. Um deles, a Jalles Machado, já está conduzindo seu terceiro corte de cana com o 4G. A Adecoagro, Amaggi, Citrosuco, Cambuhy e SLC Agrícola também já aderiram a tecnologia. Juntas, somam cerca de 5 milhões de hectares contratados com 4G Tim no Campo.

Segundo Dal Forno, o 4G no campo permite a gestão dos técnicos e o acompanhamento das atividades em tempo real, rápida tomada de decisões e a eficiência no uso de insumos. Além disso, proporciona o acompanhamento dos operadores de máquina e do tempo de equipamento parado, gerando aumento de produtividade..

Anterior Lançamento do satélite Star One D2 será em 2021, anuncia a Embratel
Próximos Telefónica e Rakuten fecham parceria para estimular Open RAN