TIM reformula aplicativo Portas Abertas


A TIM reformulou o aplicativo Portas Abertas, lançado em 2013. A ferramenta faz parte da plataforma de transparência da operadora – que conta ainda com o site Portas Abertas – e permite aos clientes acompanhar a ampliação da rede da companhia e consultar dados de cobertura, além de reportar possíveis falhas.

Segundo a empresa, o app já foi baixado 86 mil vezes em aparelhos Android comercializados pela TIM. Por ele, a empresa recebe mais de 25 mil colaborações mensais pelo app, em média, com usuários reportando falhas pontuais do sinal. “É muito importante termos esse retorno dos clientes com colaborações sobre o nosso serviço, porque direciona o trabalho da TIM na melhoria e ampliação da rede. Queremos que o aplicativo Portas Abertas se popularize ainda mais, por isso, optamos pela renovação da ferramenta, com o objetivo de facilitar a navegação e tornar o app mais dinâmico”, explica Alexandre Trindade, diretor de CRM da TIM Brasil e responsável pelo projeto.

Agora o aplicativo tem um tutorial para os clientes que forem utilizá-lo pela primeira vez; novas opções na ferramenta “Colabore”, oferecendo mais alternativas na hora de relatar problemas e a possibilidade de informar se a falha é pontual ou permanente; a busca de alertas de incidentes na rede ou manutenções programadas por cidade, além do novo layout.

Os clientes também podem enviar reportes da cobertura pelo site e pelo próprio celular, com o recurso USSD. Basta discar *144# e responder aos comandos no aparelho, sem qualquer custo. No total, a TIM recebe mais de 750 mil colaborações mensais, em média, através dos três canais disponíveis.

“Hoje, respondemos ao cliente de forma personalizada, via e-mail ou SMS, quando ele reporta algum problema. Verificamos a região reclamada, checamos as melhorias e ações realizadas, e encaminhamos a resposta com essas informações, em linha com nosso compromisso com a transparência. Temos uma efetividade alta nesses retornos, com 72% dos clientes recebendo e lendo as mensagens enviadas”, complementa Alexandre Trindade. (Com assessoria de imprensa)

Anterior NETmundial Initiative convoca stakeholders a opinar sobre termos de referência
Próximos Dilma deve sancionar lei das antenas sem vetos