TIM: Redução do ICMS será feita com base no plano contratado


alberto-griselli-ceo-tim-2022 - crédito: divulgação

O CEO da TIM, Alberto Griselli (foto), comentou hoje, 2, a estratégia criada pela operadora para incorporar a baixa do ICMS determinada pela lei 194/22. A companhia vai repassar a baixa da alíquota para planos controle e pós-pagos nas próximas duas semanas. No pré-pago, não haverá repasse. A empresa vai bonificar com 1 GB de dados os clientes que fizerem recargas.

PUBLICIDADE

“Nosso pré-pago é muito fácil de entender: por R$ 15 o cliente faz uma recarga para usar o celular por 15 dias. Para não mexer neste formato, decidimos entregar 1 GB adicional de dados por recarga”, falou o executivo na conferência dos resultados do segundo trimestre nesta manhã.

No caso dos planos controle e pós-pagos, a redução será proporcional à baixa do ICMS em cada estado. Conforme a Lei 194/22, telecomunicação passa a ser taxada como serviço essencial. Com isso, a alíquota incidente deve ficar entre 17% e 18%. Antes da lei, havia estado cobrando até 35% do imposto sobre o setor.

A partir de 7 de agosto, quem contratar um plano pós-pago ou controle já contará com a redução do valor. O TIM Controle Smart, por exemplo, passará a custar R$ 46,99 (o valor atual é R$ 49,99). Já o TIM Black 15GB terá seu valor reajustado de R$ 109,99 para R$ 99,99.

No pré-pago, as mudanças começam em 14 de agosto, com até 1GB a mais nos pacotes de internet, mantendo os valores de recarga comercializados.

Segundo Griselli, a redução do tributo terá efeitos positivos para a operadora. “Ao reduzir o preço de controle e pós, vamos atrair mais clientes para estes planos”, observou.

Clientes vindos da Oi

O desconto do ICMS vai ser aplicado a todos os clientes, inclusive aqueles acrescentados à base da TIM neste trimestre, após a conclusão da compra de parte da Oi Móvel.

Griselli também comentou o processo de integração desses clientes e dos ativos adquiridos. Segundo ele, a primeira fase, de permitir aos clientes da Oi Móvel navegarem na rede da TIM, foi concluída em um mês e meio, metade do tempo inicialmente previsto.

Ele comentou testes feitos em Brasília (DF), onde a operadora já usa o espectro comprado da Oi. Segundo o executivo, todos os clientes da empresa ali tiveram ganho médio de 60% na velocidade de navegação com a incorporação do espectro da Oi. Os clientes Oi Móvel sentiram melhora de 83% na velocidade de download. De abril a julho, o tráfego 4G de dados aumentou 29%. E a quantidade de usuários de dados cresceu 45%.

Neste momento, a TIM realiza testes de migração de clientes da Oi para sua base de dados, para a própria empresa fazer a gestão da carteira. Por contrato, a Oi é encarregada dessa gestão até o fim do primeiro trimestre de 2023.

Griselli disse que em setembro a TIM começa a migrar os clientes vindos da Oi para sua base, em ondas. Primeiro, serão transferidos os assinantes pré-pagos e controle. Pós serão os últimos. “Todos os 16 milhões de clientes serão completamente migrados até o fim do primeiro trimestre de 2023”, concluiu.

PUBLICIDADE
Anterior Revisão da Norma 4: incertezas e alternativas em jogo
Próximos Anatel libera o 5G puro em São Paulo com quase 1.400 pedidos de licenciamento de estações