TIM propõe criação de entidade planejadora de investimentos


O governo e a Anatel deveriam estimular a criação de uma entidade neutra – a exemplo da ABR, que administra a portabilidade e o Sistema Nacional de Oferta no Atacado (SNOA) – para gerenciar o planejamento da construção de redes de banda larga de alta velocidade, defendeu hoje Marcelo Mejias, gerente de Inteligência Regulatória da TIM Brasil. Para o executivo, a implementação de um modelo assim, que já deu mostras que está dando certo, pode acelera os investimentos nas redes de telecom brasileiras.

Mejias, que participou do 38 Encontro Tele.Síntese, afirmou que a experiência  de ran sharing com a Oi demonstrou que o compartilhamento é o melhor caminho para a ampliação dos investimentos. Ele observou, no entanto, que algumas iniciativas da Anatel não se alinham com este estímulo e citou a intenção da agência de cobrar um preço duplicado pelo compartilhamento das radiofrequências. “A fórmula da Anatel não é o melhor dos modelos, e pode inviabilizar o uso da radiofrequência”, afirmou.

PUBLICIDADE

O executivo frisou ainda que não faz sentido a agência querer rever as empresas classificadas como aquelas com Poder de Mercado Significativo (PMS) na oferta da rede de atacado, conforme o pleito da Telefônica, para algumas regiões de São Paulo, sem analisar o seu impacto regulatório. “Em São Paulo, 66% dos pleitos da TIM de EILD feitos para empresas não PMS não foram atendidos por inviabilidade técnica. Imagina se não existir a PMS na região”, concluiu.

Anterior Ações da PT fecham em queda e registram novo mínimo histórico
Próximos PT poderá assumir perdas e diminuir participação na Oi