TIM pronta para firmar parcerias em saúde e conteúdo


TIM quer firmar parcerias em saúde e conteúdo ainda este ano
Crédito: Freepik

A operadora móvel TIM deve terminar o ano com duas novas grandes parcerias em segmento já apontados pelo grupo como chave para desenvolvimento futuro: saúde e conteúdo.

Renato Ciuchini, da vice-presidência de estratégia e transformação da operadora, afirmou hoje, 8, que o Conselho de Administração da operadora vai analisar duas propostas na próxima semana, no dia 15. Segundo ele, caberá ao Conselho dizer se a diretoria deve ou não prosseguir com os acordos.

PUBLICIDADE

A TIM vem nos últimos anos firmando contratos para participação acionária em empresas inovadoras. Em contrapartida, oferece acesso aos clientes de sua base, vistos como potenciais assinantes dos novos serviços. Saúde e conteúdo são apenas dois dos segmentos. Outros são finanças e educação.

A companhia já tem acordo com C6 Bank, por exemplo, segundo o qual pode chegar a 15% de participação social caso atinja todas as metas de atração de usuários. Tem parceria semelhante com o grupo Kroton, de educação, pela qual pode chegar a 30% do capital da edtech Ampli.

Ciuchini não quis dizer quais empresas são as candidatas a se tornarem parceiras da TIM em telemedicina e conteúdo. Em outras oportunidades, o executivo lembrou que a estratégia de participação no capital é rentável por permitir a diversificação das receitas da companhia e ganhos com a valorização dos novos negócios.

Arbitragem com o C6

Embora a operadora aposte fundo na estratégia de busca de parceiros, nem sempre o relacionamento se dá sem percalços. Como adiantou o Tele.Síntese em julho, TIM e C6 passam por uma disputa que pode resultar na cisão do contrato entre as empresas.

A disputa é alvo de um processo de arbitragem em trâmite no Centro de Arbitragem e Mediação da Câmara de Comércio Brasil-Canadá (CCBC). Os detalhes não são revelados pelas empresas. Segundo falou hoje Jaques Horn, vice-presidente jurídico da tele, o processo tem muitas nuances não será concluído antes de meados de 2022.

PUBLICIDADE
Anterior Setor elétrico quer mais negócios com dados coletados
Próximos Enel defende ‘racionalização’ do compartilhamento de postes