TIM prestes a assinar parcerias com apps de educação, carteira digital e saúde


O CEO da TIM, Pietro Labriola, afirmou hoje, 6, que a empresa está prestes a assinar parcerias para atuar em três novas verticais nas próximas semanas. Segundo ele, a companhia está no estágio final de negociação com uma edutech para a oferta de um produto de educação a distância. O mesmo se dá com um parceiro do setor financeiro para a oferta de uma carteira digital pensada para a população desbancarizada presente em sua base celular pré-paga. Ambos os acordos, prevê, serão fechados ainda neste segundo trimestre.

PUBLICIDADE

Já o acordo com uma empresa de saúde começou a ser negociado recentemente, mas segundo o executivo está evoluindo rapidamente e já no terceiro trimestre deve ser concluído. Labriola participou de conferência dos resultados do primeiro trimestre com analistas financeiros e deu entrevista à imprensa.

Ainda este ano, outras duas parcerias entram no ar comercialmente. Junto com a empresa Icaro, a operadora vai lançar o TIM News, uma plataforma de conteúdo baseada em anúncios, neste mês de maio. E junho será o mês do lançamento do TIM Fun, app criado em parceria com a Play2Pay, que oferece acesso a jogos a partir da exibição de anúncios. Tais produtos ajudarão a tele a alavancar as receitas do TIM Ads, sua plataforma de distribuição de publicidade para celulares e que faturou R$ 6 milhões no primeiro trimestre.

Sobre os novos acordos, o executivo não detalhou qual modelo de contrato será firmado pois as negociações ainda transcorrem. Ano passado a tele fechou um acordo com o banco C6, pelo qual ganha direito à subscrição de ações a depende da quantidade de clientes que trouxer para a plataforma. Na virada do ano a TIM ganhou o direito de executar uma parte dessas opções, mas ainda não as exerceu, segundo Renato Ciuchini, vice-presidente de estratégia e transformação da companhia. A colaboração entre ambas rendeu à TIM, no primeiro trimestre, R$ 11 milhões.

Carteira digital

O produto de carteira digital da TIM deverá dar opção para o usuário do pré-pago usar os créditos em operações de compra de produtos diversos. Segundo Ciuchini, não vai interferir na estratégia de aquisição de clientes para o C6 Bank porque o perfil do público buscado será outro. “São pessoas sem conta em banco e que não têm desejo de ter conta bancária, mas precisam se ajustar ao processo de digitalização do dinheiro que vem acontecendo no Brasil”, afirmou o executivo a jornalistas.

Labriola, o CEO, afirmou ainda que o produto não encerra a proposta da TIM, feita a outras operadoras móveis, de criação de um padrão de carteira digital que permita a todos os usuários pré-pagos usarem seus créditos para compras diversas. “Se outra operadora desenvolver uma solução tecnologicamente viável antes, não teremos problema em migrar. O mais importante é definir o padrão, e não dizer que teve a melhor ideia primeiro. O importante é desenvolver o ecossistema”, afirmou.

Anterior Fabricante dos celulares Nokia lança ferramenta de gerenciamento de telefones corporativos
Próximos American Tower terá 5 milhões de conexões em sua rede IoT nos próximos cinco anos