TIM e Claro liberam uso de suas redes para os clientes da Oi


Crédito: Freepick
Crédito: Freepick

Clientes da Oi Móvel já podem usar as redes celulares da TIM e da Claro. Os 16,4 milhões de usuários assumidos pela TIM, em 29 DDDs, já navegam no sinal da empresa. A Claro, por sua vez, abriu roaming e fez a integração de redes  para 16 dos 22 DDDs assumidos: 13, 14, 15, 17, 18, 27, 28, 31, 46, 47, 49, 71, 74, 87, 91 e 92.

Os usuários da Oi seriam contemplados por regiões até 6 de julho, mas a TIM informa que conseguiu acelerar o processo e o antecipou o roaming dos clientes.

PUBLICIDADE

A compra dos ativos da Oi Móvel por TIM, Claro e Vivo foi concluída em 20 de abril. O processo de migração dos clientes adquiridos da Oi está sendo realizado em três etapas.

A seguir, será feito o desligamento da rede Oi e o aproveitamento da infraestrutura e espectro. Esta é a fase atual, em andamento na TIM.

Na última etapa haverá a integração sistêmica, quando a tarifação e emissão de contas passa a ser feita pelas compradoras. A TIM diz que os clientes serão comunicados previamente sobre as mudanças, que são feitas de forma automática.

Os usuários da Oi poderão manter o mesmo número, e não será necessária a troca de chip para continuar navegando e fazer ligações.

A recarga, para clientes de planos pré-pagos permanece sendo realizada junto à Oi até a terceira etapa. Depois, o cliente será direcionado para os canais da TIM, da Claro e da Vivo, conforme o DDD. O saldo existente será transferido e mantida a data de validade. A fatura permanece sendo entregue pela Oi até um mês após o processo.

A Claro, ao todo, vai receber 13,5 milhões de assinantes da Oi e 4,7 mil sites (antenas) em todo o Brasil.

A Vivo ainda não informou em quantos DDDs os clientes da Oi Móvel podem navegar em sua rede. A Vivo receberá os clientes dos DDDs 12, 41, 42, 81, 82, 83, 84, 85, 86, 88 e 98. Assim que informar em quais áreas os usuários de celular Oi pode usar sua rede, este texto será atualizado.

PUBLICIDADE
Anterior Coalizão Direitos na Rede quer publicidade sobre o valor das concessões
Próximos Congresso mostra cidades que inspiram e relança "Bright Green Book"