Teles reforçam redes para a Jornada Mundial da Juventude


As operadoras celulares reforçaram a infraestrutura para receber o Papa Francisco e mais de 2 milhões de pessoas que estão sendo esperadas para os eventos da Jornada Mundial da Juventude (JMJ), que ocorre nesta semana, no Rio de Janeiro. Ao todo foram instaladas cerca de 50 novas antenas, inclusive de quarta geração (4G), além de sistema wi-fi para conexão à internet e reforço nas redes de fibra óptica para escoamento do tráfego.

Na praia de Copacabana, para onde estão previstos vários eventos, a infraestrutura recebeu reforço com antenas temporárias e instalação de novos pontos de conexão wi-fi. Para suportar o tráfego intenso de chamadas e dados, a estrutura montada se assemelha ao reforço na rede feito pelas prestadoras por ocasião do Réveillon, que também concentra um grande número de pessoas.

No Campus Fidei, em Guaratiba, onde o Papa Francisco celebrará Missa nos dias 27 e 28, teve de ser construída uma infraestrutura nova de telecomunicações, já que no local, por ser desabitado, não existia rede de telefonia móvel. Em Guaratiba, foram instaladas 18 antenas e 10 mini ERbs (small cell) temporárias, com serviços 2G, 3G e 4G, além de pontos de acesso wi-fi. Adicionalmente, foi ampliada a capacidade da rede móvel de Guaratiba, Recreio dos Bandeirantes, Santa Cruz e Sepetiba.

PUBLICIDADE

Também houve reforço na infraestrutura na Quinta da Boa Vista, local do Festival da Juventude, e para atendimento aos centros de imprensa no Forte de Copacabana e em Guaratiba. O palácio episcopal no morro do Sumaré, onde o Papa ficará hospedado, recebeu novas antenas, inclusive com cobertura indoor. Em Aparecida (SP), a infraestrutura também foi reforçada com a instalação de quatro novas antenas temporárias, especialmente na área da basílica de Nossa Senhora Aparecida.

Para atender à JMJ, as empresas mobilizaram 520 pessoas, entre técnicos e engenheiros, informou o SindiTelebrasil.(Da redação, com assessoria de imprensa)

Anterior ZTE prevê melhoria na lucratividade, mas queda de receita
Próximos Projetos do REPNBL já passam de R$ 13 bi