Teles pedem para adiar switch off da TV em SP e cidades do NE


A EAD (empresa que financia a transição da TV analógica para a digital) formalizou ao ministro Gilberto Kassab o pedido para o adiamento do desligamento dos sinais de TV da região metropolitana de São Paulo. Previsto para 29 de março de 2017, as empresas querem adiar para 30 de agosto. Também pedem para retardar o cronograma das cidades de Salvador, Fortaleza, Juazeiro, Sobral e Recife em um ano, para 26 de julho de 2018.

Projetado pelo Freepik
Projetado pelo Freepik

As operadoras de telef0nia celular, por intermédio da EAD, (empresa que financia a transição da TV analógica para a TV digital), enviaram carta ao ministro da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, Gilberto Kassab, formalizando o pedido de adiamento do desligamento da TV analógica na região metropolitana de SP, marcado para 29 de março de 2017. Elas querem adiar para agosto deste ano. Pedem também para adiar em um ano o desligamento de Salvador, Recife e Fortaleza.

Após o bem-sucedido desligamento da TV no Distrito Federal e algumas cidades de Goiás, no dia 18 de novembro, o Kassab afirmava que o cronograma para São Paulo estaria mantido. Isso porque, há alguns meses já se cogitava rever o cronograma do switch off da capital paulista, a pedido das operadora de celular, por causa da distribuição do conversor dos sinais para a população de baixa renda. No DF foram distribuídos mais de 300 mil equipamentos. Em São Paulo a previsão é de uma entrega de mais de 1,2 milhão de aparelhos e antenas. A formalização do pleito pelo adiamento foi feita na semana passada.

O problema, alega a EAD, é que a nova configuração do conversor (se ele teria ou não o Ginga NCL, para permitir a interatividade) a ser distribuído a todos os beneficiários, só teve os seus primeiros protótipos em outubro deste ano. A fabricação da caixinha começou a ser feita em novembro. Isso, para um cronograma que prevê que esses equipamentos teriam que estar instalados nas casas daqueles que precisam em pouco mais de dois meses. Realmente, um tempo muito exíguo para o número de pessoas contempladas.

PUBLICIDADE

Conforme ressaltou a EAD, em sua correspondência, “mantida a perspectiva original de switch off de sinais analógicos de radiodifusão na localidade de SP, é provável que parcela da população mais carente daquela localidade tenha descontinuado, ainda que temporariamente, o acesso à TV aberta”.

No novo cronograma sugerido, a empresa alega a necessidade de  fazer também uma “revisão geral no cronograma subsequente”, quando então propõe o deslocamento de um ano, para 26 de julho de 2018, o desligamento da TV analógica nas cidades de Salvador, Juazeiro, Sobral e Recife. O restante do calendário original ficaria mantido.

Gired

O pedido terá que ser aprovado pelo Gired – grupo que conduz a transição da TV digital, que conta com os dois setores econômicos envolvidos – telecomunicações e radiodifusão, o MCTIC e a Anatel.

Os radiodifusores estão em uma posição muito confortável para essa decisão. Todas as emissoras já estão prontas para a digitalização do sinal na capital paulista e, para eles, quanto mais cedo desligar, melhor. O que deixa o debate atual inusitado, já que era esse segmento tido como aquele que iria “segurar” o máximo possível as frequências que possui. Surpreendentemente, as operadoras de celular, que têm pressa em ocupar frequência de 700 MHz com a banda larga móvel, é que estão pedindo alteração no cronograma inicial.

 

Anterior Mesa do Senado não acata recurso do PT e governo quer sancionar ainda este ano o PL 3453
Próximos Anatel decreta fim do celular analógico