Telefônica Vivo analisa uso de redes neutras além da Fibrasil


O CEO da Telefônica Vivo, Christian Gebara, afirmou hoje, 28, que a operadora não descarta firmar contrato com mais operadoras de rede neutra para ampliar sua capacidade de atendimento com fibra óptica em todo o Brasil. A afirmação se deu em conferência com analistas financeiros.

PUBLICIDADE

Atualmente, a Telefônica Vivo tem acordo com a Fibrasil, da qual é acionista, e com a American Tower em Minas Gerais. Segundo Gebara, a Fibrasil seguirá como a “parceira chave”. Para a Fibrasil, por sua vez, a Vivo é o cliente âncora, ou seja, o cliente principal e com preferência de acesso a cobertura recém construída.

Outras redes neutras de acesso óptico no Brasil são da Oi/Globenet, batizada V.tal, e da TIM/IHS, ainda sem nome comercial e por enquanto conhecida por Fiberco, por exemplo.

ISPs

Gebara também comentou o eventual interesse da Telefônica em crescer a rede óptica de forma inorgânica, através da aquisição de provedores regionais de internet. O executivo já havia dito no passado que há interesse nessa estratégia, e que esta seria levada a cabo pela Fibrasil.

Dessa vez, ele reforçou o posicionamento e ressaltou que só interessa comprar um ISPs se este se enquadrar em requisitos fiscais, de governança e se a rede de fibra de fato for complementar.

O mercado de fibra óptica está cada vez mais aquecido no Brasil, com expansão dos ISPs, chegada de empresas de rede neutra e queda no preço da implantação desse tipo de infraestrutura. A Vivo também anunciou hoje subiu sua meta de cobertura FTTH até 2024.

PUBLICIDADE
Anterior Telefônica Vivo eleva a meta de cobertura com fibra até 2024
Próximos Venda da Oi Móvel: Gebara vê com naturalidade prorrogação da análise pelo Cade