Telefônica passa a integrar projeto de infraestrutura liderado pelo Facebook


O Telecom Infra Project, ou TIP, passou a ter como integrantes as operadoras Telefónica, Vodafone e mais nove empresas. O anúncio foi feito hoje, 24, pelo Facebook. A meta do TIP é reinventar a construção e desenvolvimento da infraestrutura de rede. Além dos novos membros, o projeto apresentou seus primeiros grupos de trabalho, criados para apoiar o desenvolvimento de tecnologias para áreas de Acesso, Backhaul e Núcleo & Gestão.

“Estes primeiros projetos vão endereçar as necessidades mais críticas da indústria, como conectar os desconectados ou aqueles sem condições de acesso, e aumentar o desenvolvimento de novas tecnologias mais poderosas, como o 5G, que vai pavimentar o caminho para melhorar a conectividade e permitir novos serviços”, disse Andrew Kurtzman, diretor executivo da Fundação TIP.

PUBLICIDADE

Outro anúncio é formação do conselho administrativo do TIP, que será composto por executivos da SK Telecom, operadora sul-coreana, da Deutsche Telekom, da Alemanha, do Facebook, da Intel e da Nokia. Este Conselho vai definir a missão estratégica e o foco da Fundação TIP e direcionará os projetos da iniciativa. Adicionalmente, será responsável pela aprovação e certificação dos resultados conquistados pelo projeto.

De sua parte, o Facebook se compromete a compartilhar com o TIP e seus integrantes tecnologias de conectividade desenvolvidas nos laboratórios da rede social. Entre elas, cita três inovações lançadas em abril. O Terragraph, que é um sistema sem fio de 60 GHz criado para transmissão de internet de alta-velocidade em áreas urbanas, baseado no WiGig, ou WiFi de capacidade na casa do gigabit. Outra é o projeto ARIES, que consiste em uma estação radiobase com 96 antenas e 24 feixes de rádio simultâneos, multiplicando a capacidade e eficiência dos sistemas MIMO. Por fim, o Open/R, uma plataforma de roteamento integrada ao Terragraph.

Anterior Organizações declaram apoio a PL que regula uso de dados pessoais
Próximos Segmento de ultraportáteis será o único do mercado de PCs a crescer em 2016