Telefónica cria arquitetura de segurança separada para dispositivos de IoT


abstrata-quadrado-colmeiaPara evitar qualquer tipo de ataque à sua segurança de dados, a Telefónica decidiu, ao montar a sua rede de IoT na Espanha, separar totalmente o sistema de segurança da rede de coisas conectadas da rede tradicional que atendia a clientes empresariais que dependiam das aplicações de IoT. Isso porque, enquanto a primeira recebe informações diretamente de dispositivos, a segunda tem seu core conectado a plataformas, que fazem a mediação com as aplicações usadas pelos clientes. E diferentes mecanismos de segurança dependem das aplicações de IoT.

A modelagem da solução de rede para as aplicações de IoT foi apresentada pelo CTO para IoT da operadora, Carlos Carazo, durante o painel sobre segurança organizado pela GSMA no WMC, que se realiza em Barcelona. Ele disse que a arquitetura da rede seguiu todas das recomendações de segurança do órgão europeu de cibersegurança e contou que a Telefónica ficou muito bem posicionada em benchmarks realizado pela indústria sobre segurança digital junto a usuários. Entre as medidas adotadas pela empresa, relatou que a operadora montou, para atender aos seus clientes, um Laboratório de Segurança em IoT em parceria com a Eleven Paths.

PUBLICIDADE
Anterior Projeto piloto garante participação de pequenas prestadoras em grupos de estudos da UIT
Próximos Lua terá rede 4G a partir de 2019