Telebras nega conversas para fusão com Serpro e Dataprev


logo telebras 936x600A Telebras afirmou à Comissão de Valores Mobiliários (CVM) que não vem conversando com outras empresas estatais a respeito de uma potencial fusão. O rumor, surgido em meio ao contingenciamento e cortes de orçamento do governo federal realizados ano ano passado, foi novamente suscitando ontem, quando o jornal Folha de S.Paulo publicou notícia de que o ministério do Planejamento ainda estuda fundir a operadora com as também estatais Serpro e Dataprev. Hoje, os presidentes das empresas vão se reunir em Brasília, o que amplificou a tese de que há conversas em pauta sobre a fusão.

Jorge Bittar, presidente da estatal, já havia minimizado os rumores em entrevista ao TeleSíntese, em setembro do ano passado. À época, ele afirmou que o governo ainda não o havia chamado para debater o assunto, e ressaltou que as conversas com Serpro e Dataprev são por acordos comerciais. “O que nós estamos fazendo são parcerias operacionais e comerciais entre essas empresas”, ressaltou.

O comunicado enviado à CVM foi uma resposta a pedidos de esclarecimento em função dessas notícias. Na nota, a estatal reitera “que nunca participou de qualquer iniciativa de fusão entre as empresas mencionadas na reportagem, nem tem em seu planejamento tal perspectiva”.

PUBLICIDADE

Em nota à imprensa, é ainda mais taxativa: “A Diretoria Executiva da Telebras vem a público esclarecer que nunca participou de qualquer iniciativa de fusão entre esta empresa, o Serpro e a Dataprev”. E destacou o que disse Bittar em setembro, de que busca parcerias “visando a melhoria de seus resultados e o fortalecimento de suas ações comerciais e operacionais”, e não apenas com outras companhias estatais.

Em dezembro, Marcos Mazoni, presidente do Serpro, também fez declarações no mesmo sentido, de que as empresas negociam parcerias, e que não lhes interessa a fusão. Mesmo com a negativa, o mercado permanece otimista com a ideia de fusão. Os papeis ON da Telebras sobem, hoje, 31,85%, e os PN, 43,64% (às 11h30). Ontem, já haviam apresentado alta de 98,21% na Bovespa.

 

Anterior Soluções digitais devem ser a marca das seguradoras em 2016
Próximos Conexões 4G no Brasil chegarão a 42 milhões em 2016