TelComp acredita que recriação do Minicom pode ser positiva


A recriação do Ministério das Comunicações com a indicação do deputado Fábio Faria (PSD-RN) como titular da pasta é vista, a princípio, como positiva pela TelComp (Associação Brasileiras das Prestadoras de Serviços de Telecomunicações Competitivas). Segundo o presidente da entidade, João Moura, se a reestruturação do setor vier para fortalecer politicamente e facilitar o relacionamento com o Congresso Nacional, chega em boa hora. 

Porém, defende a continuação do trabalho técnico de alta qualidade que vem sendo feito na área de telecomunicações. “O Vitor Menezes, o Max [Maximiliano Martinhão] e o Artur [Coimbra] têm conduzido as questões do setor com muita competência, inclusive durante a crise da pandemia, enfrentando as reais prioridades, por isso defendemos a permanência deles”, disse Moura. 

E ele acredita que isso seja possível, uma vez que a mudança não pareça ser uma troca de orientação para o setor. Caso contrário, acredita que pode ver atrasos nas políticas públicas mais relevantes. 

PUBLICIDADE

“Se a mudança vai fortalecer a área de radiodifusão e a área de comunicação, isso não podemos avaliar”, completou João Moura. Isto porque Fábio Faria é casado com a filha do dono do SBT e Fábio Wajngarten, indicado para a Secretaria-Executiva da nova pasta dirigia a Secretaria de Comunicação, ligada à Casa Civil do governo. 

Anterior Bolsonaro anuncia a recriação do Ministério das Comunicações
Próximos Analistas de mercado veem riscos na recriação do Minicom