Tecnologia e Comunicações somam 29% dos bloqueios no orçamento de 2022


Tecnologia e Comunicações somam 29% dos bloqueios no orçamento de 2022
Crédito: Marcos Oliveira/Agência Senado)

O Ministério da Economia divulgou nesta semana o detalhamento dos bloqueios no orçamento de 2022. O Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI) aparece como a pasta com maior corte, de R$ 2,5 bilhões  – restando R$ 6,8 bilhões. 

Entre os 15 setores com maiores bloqueios, o Ministério das Comunicações (MCom) está na 10ª posição, perdendo R$ 87,3 milhões dos recursos previstos. A dotação atual ficou em R$ 1,5 bilhão. 

PUBLICIDADE

Juntas, as pastas de Tecnologia e Comunicações representam 29% dos R$ 8,7 bilhões congelados teve no orçamento para cumprir a regra de teto dos gastos. Ainda entre os ministérios mais afetados está o da Educação, com R$ 1,5 bilhões a menos e a Saúde, que perdeu R$ 1,2 bilhões (veja a lista completa mais abaixo). 

Os valores, divulgados nesta segunda-feira, 6, são maiores que os R$ 8,2 bilhões previstos em maio pelo governo federal. A alteração se deu decorrente da necessidade do incremento de R$ 463 milhões no orçamento do Ministério da Economia para despesas obrigatórias do órgão. 

Na reformulação, consta uma reserva de contingência de R$ 1,7 bilhão para possível reestruturação de carreiras dos servidores federais.

Ranking dos bloqueios no orçamento

Veja abaixo os setores mais afetados pelos cortes:

  1. Ciência, Tecnologia e Inovações: R$ 2. 5 bilhões
  2. Educação: R$ 1,5 bilhões
  3. Saúde: R$ 1,2 bilhões
  4. Defesa: R$ 706,9 milhões
  5. Infraestrutura: R$ 199,8 milhões
  6. Desenvolvimento Regional: R$ 1,4 milhões
  7. Relações Exteriores: R$ 120,5 milhões
  8. Justiça e Segurança Pública: R$ 117,3 milhões
  9. Cidadania: R$ 94,4 milhões
  10. Comunicações: R$ 87 ,9 milhões
  11. Minas e Energia: R$ 46,9 milhões
  12. Turismo: R$ 36,5 milhões
  13. Presidência da República: R$ 25,3 milhões
  14. Banco Central do Brasil: R$ 18,7 milhões
  15. Mulher, da Família e dos Direitos Humanos: R$ 9,6 milhões

Outros cortes no orçamento

O orçamento já foi aprovado com baixas no final de 2021. Em janeiro deste ano, o presidente Jair Bolsonaro sancionou com vetos a Lei 14.303, de 2022, cortando R$ 3,1 bilhões em despesas aprovadas em dezembro pelo Congresso Nacional: sendo R$ 1,3 bilhão em emendas de comissão e R$ 1,8 bilhão em despesas discricionárias.

Na largada de 2022, o MCTI já havia sofrido um veto de R$ 74,20 milhões e o MCom teve um corte de R$ 63,55 milhões.

PUBLICIDADE
Anterior Telefónica Tech faz parceria com Netskope para vender produtos da empresa
Próximos Com BTG no controle, V.Tal quer ser mais ativa na busca de solução para o uso dos postes