Tarifa da ligação fixo-móvel cai até 19,25% a partir de 25 de fevereiro


(Fonte: Shutterstock Lucian3D)
(Fonte: Shutterstock Lucian3D)

Anatel publicou hoje, 15, as novas tarifas de ligação do telefone fixo para o telefone celular, que ficarão até 19,25% mais baratas a partir do próximo dia 25 de fevereiro. Conforme a agência, a queda irá variar de 16,49% a 19, 25% nas ligações locais (VC1) e de 7,05% a 12,01% nas ligações de longa distância (VC2 e VC3).

O VC2 é cobrado quando o primeiro dígito do DDD do dois telefones for igual, e o segundo diferente. Já o VC3 caracteriza-se se o primeiro dígito do DDD dos dois telefones forem diferentes.

Essa significativa queda se justifica pela decisão da Anatel, tomada há alguns anos, de levar para custo a tarifa de interconexão da rede móvel, para acabar com o “efeito clube” das operadoras de celular. A queda de preço dessa tarifa começou a partir de 2011. Este ano, a redução média da VU-M é de 44,7%.

Na região da Telemar (Região I) a queda da VU-M é de 47,1%; na área da Brasil Telecom (Região II), 47,7%; e na da Telefônica, (Região III), redução de 39,2%.

Assim,  a partir do dia 25, a VU-M da Região I passa a valer R$ 0,04928 por minuto; a da região II R$ 0,05387; e a da Região III R$ 0,06816.

Valores de Público

Conforme a portaria publicada hoje, a ligação local de um telefone fixo da Telefônica para um número de celular vai passar a custar, no horário comercial, R$ 0,21 centavos o minuto (sem imposto). De um telefone fixo da Oi, para qualquer celular, também no horário comercial, a ligação local vai custar R$ 0,20 centavos o minuto (valor sem imposto). Já as ligações de longa distância – VC2 vão custar R$ 0,53 centavos  e VC3 R$ 0,78 centavos – para quem ligar de um fone fixo de São Paulo para qualquer celular.

As ligações de longa distância da região da Telemar vão sair por R$ 0,59 (VC2) e R$ 0,72 centavos (VC3), todas sem impostos.

Anterior Anatel defende PLC 79 e diz que mudança do modelo só ocorre se teles derem garantias financeiras
Próximos SKY lança novo satélite