Notícias com o tag

rede privativa


O ministro Fábio Faria anunciou hoje, 14, que o TCU julgará as regras do leilão no dia 18 de agosto às 10 horas, e que a Anatel libera o edital sete dias depois que recebê-lo do Tribunal. E ,por isso, não haverá atraso no ingresso da 5G no país. Segundo Faria, no final deste ano algumas operadoras já estarão ofertando o 5G puro.

O ministro das Comunicações, Fábio Faria, insiste em dizer que o leilão será feito “em alguns dias”, mas o TCU sequer começou a avaliar formalmente a proposta, e quando isso acontecer o segundo semestre estará no fim, o que “empurrará” a data do leilão e do cumprimento das obrigações para prazos maiores do que os previstos pelo governo.

Em entrevista ao Tele.Síntese, Ignácio Ibañez avalia que faz mais sentido incentivar todas as redes do país a adotarem padrões elevados de segurança, do que estabelecer uma rede segregada mais segura para uso governamental

Tribunal de contas questiona as redes privativa e a da Amazônia Conectada já que o estudo para a sua construção se baseou em uma análise feita pela Telebras. Faria reforçou que o leilão será realizado no segundo semestre e que o edital será aprovado sem alterações.

O argumento das empresas é de que parte dos investimentos feitos, incentivados pelo governo brasileiro, não poderá ser mais utilizado

Segundo o tribunal, metas de rede privativa e da Amazônia Conectada não estavam previstas na política pública e nem passaram por consulta pública

Ministro das Comunicações organiza nova missão internacional. Na comitiva estarão o diretor-geral da Agência Brasileira de Inteligência, Alexandre Ramagem, e o ministro do TCU, Bruno Dantas

Além da questão legal já apontada, de que a construção da rede privativa e da rede da Amazônia por empresa privada, para depois ser gerida por entes públicos, fere a lei de licitações, há também ausência de informação de como essas redes serão mantidas, depois de construídas.

Em nota enviada ao Tele.Síntese, pasta explica que estudos da Telebras que orçaram rede privativa em R$ 3,5 bilhões no período de seis anos serviram de referência, mas o projeto previsto na minuta do leilão 5G traz diferenças significativas e vai gerar receitas.

Entendimento é que empresa tem níveis de governança corporativa compatíveis com o que é exigido na portaria 1924. Atílio Rulli, diretor da empresa, lembra que governo e estatais são clientes de longa data da fabricante.