Notícias com o tag

espectro


A avaliação é do superintendente Vinícius Caram, que já analisa novas frequências para o serviço

Cristiane Sanches, conselheira da Abrint - Crédito: TV.Síntese

Para Cristiane Sanches, conselheira da Abrint, ISPs começarão a usar o mercado secundário de espectro apenas a partir de 2023, depois de aprovado o novo regulamento da Anatel sobre o tema

Presidente da Comissão que organiza a licitação da Anatel ressalta que dos 15 interessados em participar do leilão, apenas cinco já operam no mercado móvel.

Emmanoel Campelo, conselheiro da Anatel - Crédito: TV.Síntese

Presentes ao Inovatic, Emmanoel Campelo, vice-presidente da Anatel, e Cristiane Sanches, da Abrint, disseram que o número de interessados nesta fase do leilão 5G demonstra a relevância da disponibilidade do espectro para a ampliação da conectividade no país

A antecipação do serviço celular em localidades e polígonos de cidades não irá depender da limpeza completa da faixa de 3,5 GHz para os sinais de TV ou de satélite, responde a comissão de licitação.

Proposta apresentada por Emmanoel Campelo, e que vai a consulta pública, transfere rede móvel de Exército e polícias para a faixa de 850 MHz, e libera mais espectro para uso das operadoras nos 700 MHz. Também há mudanças em 850 MHz, 450 MHz e 900 MHz, 1,8 GHz e 2,1 GHz.

Diretor da empresa, Luiz Minoru, afirmou que decisão sobre espectro ainda depende de nuances do edital 5G, que será votado pela Anatel nesta semana

gallitto

Reservas de espectro significariam menos desses recursos para operadoras móveis e consumidores, o que pode comprometer a quinta geração

Para Marcos Ferrari, da Conexis, mudanças no edital que elevem o preço das faixas de frequência podem onerar investimentos e atrasar chegada do 5G. Por isso propõe mais diálogo antes da publicação das regras definitivas do certame.

O conselheiro da Anatel, Emmanoel Campel, em live do Inovatic 2021

Ao analisar a renovação das licenças de 850 MHz da operadora, conselheiros discordaram quanto ao melhor método de precificação. Venceu a posição do relator Emmanoel Campelo, que defendeu a cobrança do preço de mercado pelo espectro. Com isso, licenças da Vivo são renovadas até 2028.