Notícias com o tag

Altice


Uma das questões que estão em estudo pelos italianos é o peso da concessão brasileira e a sua reversibilidade, explicam fontes da operadora.

Acordo é positivo, mas deve esbarrar em órgãos reguladores da concorrência em Portugal.

A venda da Portugal Telecom pela Oi é bom para a operadora brasileira, pois melhora as condições da empresa, a sua liquidez, e aumenta os investimentos no Brasil, afirmou hoje o ministro das Comunicações, Paulo Bernardo. Mas ele voltou a se manifestar contrário à consolidação do mercado brasileiro.

A Oi divulga comunicado oficial à CVM, confirmando que está negociando, com exclusividade, com a francesa Altice a venda da PT. A operadora francesa melhorou a oferta, elevando em mais 400 milhões de euros à proposta original. Nesta proposta, fica mantido o condicionamento do pagamento diferido de 500 milhões de euros relacionado à geração futura de receita da Portugal Telecom. A venda é só pelos ativos da PT, o que não inclui o ingresso do grupo francês no capital da brasileira Oi. Neste caso, quem se mantém no controle da Oi é a PT SGPS, a holding, que conta com a participação o Grupo Espírito Santo (GES).

Pelo acordo, francesa pagará até 30 milhões de euros aos CTT caso compre os ativos da operadora portuguesa.

No fim do processo, que tem como data limite o dia 25 de março de 2015, a nova Oi terá como maior acionista individual o BNDES, com 5,7%. O maior sócio privado será o Novo Banco, que ficou com os ativos saudáveis do Banco Espírito Santo. Sua participação será, sem a opção pelas ações congeladas, de 5,2%. Os sócios privados brasileiros terão seu capital diluído assim como os demais acionistas da PT SGPS. E a empresa estará no novo mercado.

CEO da empresa defende consolidação do mercado na França, mas não comenta lance pela PT.

Operação condiciona pagamento de 400 milhões de euros à geração futura de caixa e de outros 400 milhões de euros a aumento da receita. Ações da Oi e da PT apresentam forte alta. Conselho da Oi já avalia proposta. Mercado espera lances de outros interessados.

Os papéis da operadora portuguesa iniciaram esta sexta-feira com queda de 10%, depois de atingirem o mínimo histórico de 13% ontem.

Em comunicado ao mercado, companhia disse entretanto, que parte de sua estratégia é buscar e analisar alternativas para reforçar e melhorar sua flexibilidade financeira.