Notícias com o tag

5 ghz


Conforme técnicos da agência, ainda não há decisão do conselho, mas há a proposta da área de se retirar a frequência de 3,5 GHz da licitação deste ano.

A principal beneficiada da decisão será a Sky, recentemente adquirida pela AT&T, que comprou a maioria dessas pequenas empresas de MMDS

A audiência pública convocada hoje,26, pela Anatel para discutir o leilão de venda de frequências lançado à consulta pública demonstrou que são muitas as mudanças que deverão ser feitas na publicação definitiva do leilão. A venda de 40 MHz da faixa de 3,5 GHz foi a que despertou os maiores questionamentos. O grupo América Móvil, que tem no Brasil uma constelação de satélite da Star One, está preocupado com a interferência do novo serviço em suas transmissões satelitais na banda C, o que poderia provocar a interferência dos sinais da TV aberta, e pediu que a Anatel desistisse de leiloar agora este espectro, até que se concluam os estudos técnicos sobre o tema. A Abert, (que representa os radiodifusores) pediu que esta faixa seja licitada em separado, para não atrapalhar a venda das demais frequências até que em pelo menos dois meses sejam feitos estudos sobre a interferência.

O conselho diretor aprovou hoje, 13, consulta pública por 15 dias de edital de venda das faixas de 1,8 GHz, 1,9 GHz, 2,5 GHz e de 3,5GHz. A venda de cada frequência terá regras diferentes. Em alguns casos, as grandes operadoras de celular que atuam no mercado – Claro, Oi, TIM e Vivo – estão proibidas de comprar alguns lotes. Em outros casos, somente uma nova empresa ou Algar Telecom ou Nextel pode comprar a frequência. As faixas que serão vendidas nos município, de 2,5 GHz TDD e de 3,5 GHz, estão destinadas para os novos operadores – sejam empresas como a Sky, controlada pela gigante norte-americana AT&T, seja por pequenos provedores de internet. A sobra da 700 MHz não será vendida neste leilão.

A modelagem do leilão de venda de uma grande quantidade de frequências já está concluída pela área técnica da Anatel. Nesta segunda-feira, 20, será sorteado o conselheiro que irá relatar o processo. E serão vendidas frequências de 1,8 GHz; 2,5GHz e de 3,5 GHz, todas para a oferta de serviços de banda larga móvel e fixa. Duas importantes novidades deste leilão frente ao passado: algumas frequências serão vendidas por município e não haverá exigências de garantias, para estimular o ingresso dos pequenos provedores.

Empresas agregaram portadoras à rede já existente de 2,6 GHz, usando tecnologia TD-LTE-Advanced.

A liberação das garantias refere-se ao cumprimento das metas de cobertura do leilão de 2,5 GHz de 4G

A Claro teve R$ 188,47 milhões de garantias liberados por ter levado a tecnologia 4G para 65 municípios brasileiros nas frequências de 2,5 GHz e 450 MHz vendidas em 2012. A TIM, por sua vez, teve R$ 182,4 milhões, por ter atendido 63 municípios.

Segundo companhia, são mais de 1 milhão de hotspots para complementar a rede móvel no país.

A Anatel publicou hoje no DOU a decisão tomada em fevereiro, de não aceitar a prorrogação da frequência de 2,5 GHz que era da NET Serviços