Surf Telecom negocia com distribuidoras de energia para crescer no mercado de microcrédito


A operadora móvel Surf Telecom aposta em parcerias com distribuidoras e energia elétrica para crescer no mercado financeiro, onde atua como Surf Pay. A empresa começou em setembro a distribuir microcrédito a clientes da CPFL, concessionária do interior de São Paulo. O negócio consiste na oferta de crédito através do banco digital para que o consumidor da energia pague a conta de luz.

Em live realizada nesta sexta-feira, 6, pelo Tele.Síntese, o diretor de produtos financeiros da Surf, José Isern, contou que o serviço começou a funcionar em setembro. A empresa prepara expansão do produto para atender mais duas distribuidoras de energia, e negocia com outras cinco.

PUBLICIDADE

Segundo ele, o modelo prevê pagamento à Surf pela operação de pagamento da conta de luz. Mas o valor é compensado pela queda da inadimplência para o distribuidor elétrico. “É um custo maior para a concessionária, maior que o boleto, mas em compensação a inadimplência é bem menor do que fazer empréstimo com pagamento em boleto”, disse.

O executivo diz que o projeto, por enquanto, usa capital próprio para o giro do microcrédito, com supervisão e garantia de um fundo de direitos creditórios. Isern contou que a Surf quer explorar mais esse mercado, mas que para isso precisa ampliar as fontes de recursos.

“Começamos em setembro, com funding próprio. O negócio vai bem, só não está maior por questão de funding. Estamos negociando com três bancos. Mas primeiro temos que mostrar que a operação dá retorno”, concluiu. A Surf tem como público alvo a população das classes B-, C e D, inclusive desbancarizados.

Anterior Polícia Federal já identificou o hacker que atacou o STJ e pediu resgate
Próximos Huawei quer ser a nuvem do PIX e do OpenBanking no Brasil