STJ retoma atividades, mas hacker continuaria com processos


O STJ (Superior Tribunal de Justiça) informou hoje, 9, que os sistemas do tribunal foram restaurados permitindo a retomada das sessões e do acesso aos processos. Mas, segundo fontes policiais, o hacker que promoveu o ataque cibernértico ao sistema informatizado da Corte na última terça-feira, 3, continuaria mantendo o bloqueio de documentos e processos sigilosos com a ameaça de vazamento em massa das informações, o que pode resultar em ações de reparos contra a União.

De acordo com o STJ, o restabelecimento dos sistemas está sendo executado pela equipe da Secretaria de Tecnologia da Informação e Comunicação do tribunal e das empresas Microsoft e Atos Brasil, com o apoio do Comando de Defesa Cibernética do Exército brasileiro e o Serpro.

A Corte avalia as repercussões de um eventual risco do vazamento dos dados por conta da entrada em vigência da Lei Geral de Proteção de Dados Pessoas. Por ora, a cautela está redobrada. Ministros, servidores, terceirizados e estagiários estão realizando as trocas de senhas com reforço na segurança das identidades de acesso, com procedimentos necessários de dupla autenticação para uso dos sistemas.

PUBLICIDADE

Em comunicado, o STF afirmou que “está vigilante para a necessidade de cautela neste momento”, reforçando a ameaça de que o invasor possa fazer novas tentativas. A Polícia Federal informou que já identificou o autor do crime, mas não deu nenhuma informação adicional a respeito.

Com o anúncio da retomada das atividades, o STJ suspendeu o plantão judicial e os prazos voltam a correr nesta terça-feira, 10. A Central do Processo Eletrônico (CPE) foi disponibilizada nesta segunda em uma página que substitui provisoriamente o Portal do STJ. Dessa forma, advogados podem voltar a consultar processos eletrônicos e realizar o peticionamento eletrônico. A distribuição de processos aos ministros também será restabelecida. 

Segundo o comunicado do STJ, os próximos serviços a serem restabelecidos na página do STJ serão a consulta processual, a consulta de jurisprudência e o Diário da Justiça eletrônico (DJe). Outros sistemas, bem como o serviço de telefonia, serão retomados de forma gradual.

“Cabe salientar a magnitude do trabalho dessa equipe na última semana – foi necessária a criação de um novo ambiente para o carregamento dos dados – estes, integralmente preservados no backup – com os cuidados para blindar ao máximo a infraestrutura”, informou o tribunal.

Até o próximo dia 15, o teletrabalho dos funcionários do STJ será restabelecido, o que permitirá a utilização dos sistemas da Corte pela web – esta é uma das principais ferramentas que viabiliza as atividades a distância durante a pandemia da Covid-19.

Anterior Intel anuncia nova solução de gráficos para laptops finos e leves
Próximos STF: Lei do Piauí que obriga teles a fornecer localização de celulares roubados é inconstitucional