Startups mostram soluções criativas para o campo no Agrotic


 

Se depender da criatividade dos empreendedores, a agricultura brasileira vai longe. Isso ficou claro nesta quinta-feira, 17, no Agrotic 2020, com a apresentação das soluções inovadoras desenvolvidas por startups, que permitem reduções de custos na gestão, na aplicação de defensivos, na prevenção de incêndios e, de quebra, relatórios que garantem a obtenção de crédito de carbono.

A Arpac, por exemplo, cria drones para pulverização agrícola dirigida com economia de 45% em comparação com os métodos tradicionais, além de usar imagens para monitoramento da saúde da lavoura. A solução já é sucesso no Brasil e já foi apresentada nos Estados Unidos, informa o CEO Eduardo da Costa.

PUBLICIDADE

Já a Scicrop é focada em big data e geoanalytics para a agroindústria e a cadeia produtiva. A plataforma desenvolvida traz inúmeros benefícios para a tomada de decisão pelos produtores, além de apontar soluções para otimização logística, identificação de melhores rotas, previsões mercadológicas entre outras facilidades. O CEO José Damico afirma que a startup é uma parceira na jornada de transformação digital da propriedade e dá liberdade para que as soluções sejam usadas, inclusive com a transferência do algoritmo desenvolvido.

A Sintecsys, por sua vez,  desenvolveu uma solução que detecta focos de incêndios em florestas e plantações oferecendo informações de campo para ampliar a eficiência das brigadas de incêndios reduzindo perdas e emissões de gases de efeito estufa. O co-fundador e Head de Inovação Osmar Bambini afirma que a solução já atende 2,5 milhões de hectares no Brasil. Além disso, na próxima versão do software será possível confirmar a redução de emissões de CO2 por meio de combate a queimadas e o relatório trará dados de sustentabilidade suficientes para empresas obterem crédito de carbono.

Por fim, a DKRO desenvolveu uma plataforma de gestão do campo que aumenta em 2,5 vezes a produção. A solução rastreia desde a matéria prima, ou seja, o produto agrícola, até oi produto acabado. O CEO da startup, Philipe Aymard, disse que na nova versão a plataforma inclui a validação biométrica dos funcionários da fazenda.

As Startups foram encubadas em algum momento pela EsalqTec, instituto parceiro do Tele.Síntese na realização do Agrotic 2020. Os debates continuam nesta sexta-feira, com novo pitch de empreendedores.

Anterior Tanure oficializa compra da Sercomtel já de olho na Copel Telecom
Próximos Fontes de financiamento para tecnologia no agro podem ser inovadoras