AGU diz que solução para a Oi pode vir até sem MP


O presidente da Anatel, Juarez Quadros, e a ministra da Advocacia Geral União, Grace Mendonça, afirmaram hoje, 30, após a reunião do grupo de trabalho que debate diferentes cenários para a crise da Oi, que ainda não há qualquer decisão sobre como essa solução será encaminhada – se por Medida Provisória, se por Projeto de Lei, ou se será mesmo necessária a atuação legislativa. ” Não fechamos o cenário ideal ainda pois precisamos construir uma solução com toda a segurança jurídica”, afirmou a ministra. A que Quadros completou ” Não há conclusão para Medida Provisória ou outro ato legal”.

 

(Crédito: Shutterstock agsandrew)
(Crédito: Shutterstock agsandrew)

O presidente da Anatel, Juarez Quadros, e a ministra da Advocacia Geral União, Grace Mendonça, afirmaram hoje, 30, após a reunião do grupo de trabalho que debate diferentes cenários para a crise da Oi, que ainda não há qualquer decisão sobre como essa solução será encaminhada – se por Medida Provisória, se por Projeto de Lei, ou mesmo se será necessária a atuação legislativa. ” Não fechamos o cenário ideal ainda pois precisamos construir uma solução com toda a segurança jurídica”, afirmou a ministra. A que Quadros completou ” Não há conclusão para Medida Provisória ou outro ato legal”.

Eles fizeram a ressalva depois que  o conselheiro da Anatel, Igor de Freitas, em conversa com os jornalistas no início da tarde, havia falado que a Medida Provisória (MP) estava sendo formtada pela AGU, e que ela iria tratar apenas das multas da Anatel.

A ministra Grace disse que o governo está “fazendo todo o esforço” para encontrar a solução antes da Assembleia de Credores da Oi, marcada para o dia 10 de novembro, e que a próxima reunião desse grupo de trabalho (que reúne integrantes da AGU, dos MCTIC, área econômica, Anatel e bancos públicos) está marcada para essa quarta-feira, dia 1. ” A Assembleia não vai ser adiada. O nosso esforço é para a conclusão do desfecho antes do dia 10″, completou ela.

PUBLICIDADE

Conforme a ministra, a ação do governo envolve, de fato, apenas o tratamento dos créditos públicos que a Anatel tem a receber, mas essa questão terá repercussão também sobre os créditos privados. ” Pode ser que a gente não precise nem de Medida Provisória, nem de projeto de lei. Vai depender de como os créditos da Anatel vão se comportar diante de toda a tomada de decisão”, afirmou ela.

Grace afirmou ainda que não se tomou a decisão ou entendimento consolidado que leve à sugestão de Medida Provisória, até porque uma decisão como essa depende da evolução do fluxo de caixa da empresa.

Acionistas

A ministra irá  reunir com os acionistas da Oi, assim como se reuniu com todos os interessados no assunto.

Minoritários

A Associação dos Investidores Minoritários do Brasil enviou carta à Anatel criticando a posição da agência de conceder imunidade ao CEO da Oi, Marco Schroeder, e chega a pedir que o conselho faça a sua destituição, porque estaria prejudicando os acionistas minoritários na construção da proposta de diluição de capital.

 

 

Anterior Comitê Gestor do eSocial vai anunciar novo cronograma
Próximos Sem proponentes, Telebras encerra leilão de capacidade do satélite brasileiro