Sócio da TIM em infraestrutura fixa terá o controle do negócio


O CEO da TIM, Pietro Labriola, afirmou hoje, 25, em um evento virtual que o sócio para a construção de infraestrutura terá o controle do negócio. O executivo não comentou em que pé estão as negociações pelo ativo, que inclui a rede da TIM Live, mas não a carteira de clientes.

“Um parceiro vai ter os 51%, poderá acelerar toda a cobertura em fibra sem ter impacto no número do móvel. Uma característica da TIM é que temos o fixo que contribui com 3% na receita, mas 10% no Capex, um roll out que tem retorno em oito anos. Nesse período, a contribuição em receita vai crescer, mas no Capex também”, falou.

PUBLICIDADE

A separação estrutural começou a ser planejada em outubro de 2019 e se deve às taxas de retorno diferentes da infraestrutura fixa, comparada à da móvel. O sócio será controlador e responsável pela gestão de toda a rede fixa da TIM, herdando, portanto, a TIM Live, como já anunciado recentemente.

Segundo Labriola, a separação terá reflexo direto no balanço do grupo. “O mercado tem dificuldade de entender esse crescimento do Capex, por isso vamos separar essa modalidade [infraestrutura fixa]. Teremos o móvel mais a receita do fixo e uma empresa fora, que vai gerenciar todo o desenvolvimento da rede fixa”, reiterou. Ele participou de live do site Infomoney, juntamente com o CFO da TIM, Adrian Calaza.

Anterior BB e Itaú recorrem contra voto dos bondholders na assembleia da Oi
Próximos Operadoras já negociam cooperação em carteira digital