Sob ameaça de greve, Serpro inaugura Centro de Operações de Segurança no DF


O Serpro inaugurou ontem, 14, um Centro de Operações de Segurança (SOC), em Brasília. O lançamento faz parte de um plano para transformar a estatal em uma empresa de “de inteligência”, em vez de uma empresa de processamento de dados, diz seu presidente, Caio Mario Paes de Andrade.

O SOC tem uma equipe de sete pessoas. Levou três meses para ser colocado no ar. Nada nas instalações físicas foi comprado. Os equipamentos e bancadas foram remanejados da Regional Rio de Janeiro, a fim de economizar recursos, diz a empresa.

PUBLICIDADE

O equipamento terá função preventiva. Terá como papel proteger, tratar e alertar os gestores de negócio a respeito de vazamento de dados pessoais; proteger e monitorar os diretores e superintendentes na camada mais profunda da internet, como Deep e Dark Web (refere-se todos os servidores de rede inalcançáveis na Internet, por requererem softwares, configurações ou autorizações específicas para o acesso); responder, de forma rápida, aos incidentes de segurança dos sistemas do Serpro e clientes; correlacionar eventos de segurança, gerando alertas antes dos incidentes acontecerem.

Ameaça de greve

A inauguração acontece em meio a tensões entre diretoria e trabalhadores da estatal, que ameaçam entrar em greve na próxima semana, conforme primeiro noticiou o site Convergência Digital. Fenadados, FNI e SINDPD-RJ, sindicatos que representam os trabalhadores da empresa, iniciaram nesta semana campanhas de arrecadação de fundos para mover ações na justiça a fim de barrar a possível privatização da estatal, em estudo pelo governo federal.

Conforme as entidades, há ameaça de demissão de ao menos 200 funcionários após redução orçamentária promovida na Receita Federal. Segundo a Fenadados, a direção afirmou que 16 escritórios serão fechados – a exemplo do movimento já anunciado na Dataprev – mas os trabalhadores que estavam alocados na Receita Federal poderiam ser colocados em regime de teletrabalho ou realocados.

Ao Tele.Síntese, o Serpro enviou posicionamento em que confirma que passa mudanças. “O Serpro está passando por um processo de transformação e de reestruturação para aumentar a eficiência operacional da empresa e garantir a transformação digital no país”.

A estatal diz, porém, que ainda não foram definidas as medidas dessas mudanças. “Vários estudos estão em andamento, seguindo as diretrizes de governo, mas ainda não há uma definição de quais mudanças e quando serão implementadas”, afirma.

Anterior Governo gasta R$ 46 bilhões em compras em 2019
Próximos Redetelesul obtém liminar que desobriga ISP a quebrar sigilo de clientes sem autorização de juiz